O Magistério Conciliar II: O Código de 1983 e a Dignitatis Humanae

ESQUEMA DA AULA

  • II. LEIS.
    • Relembrando o princípio. “Nada pode ser encontrado no Código de Direito Canônico que se oponha de qualquer modo à regra da fé e da santidade evangélica” (Cardeal Cartechini).
    • Heresias e pecados notórios do Código de 1983:
      1. Autoriza o culto junto de não católicos, a participação ativa em seus ritos (cân. 844, 2), prática igualmente proibida e condenada pela Igreja.
      2. Autoriza a administração dos sacramentos a não católicos (cân. 844, 3-4), considerada um sacrilégio pela Igreja Católica.
      3. Nova definição de matrimônio (cân. 1055), excluindo a distinção tradicional entre bens primários e secundários, mencionando o bem dos esposos antes mesmo dos fins primários de procriação e educação da prole.
    • Conclusão. O Código de Direito Canônico de 1983 não pode ser obra católica, pois é contrário à regra da fé a à santidade evangélica.
  • III. LIBERDADE RELIGIOSA.
    • A Dignitatis Humanae do Vaticano II (1965) afirma que a liberdade religiosa é um direito de todo ser humano, cada um deve escolher a religião que quiser, e que a sociedade civil deve garantir este direito.
      • Heresia notoriamente contrária à doutrina e prática da Igreja Católica, um voltar às costas ao expresso mandato de Jesus Cristo. Esta doutrina foi qualificada como herética por Pio VII na Post Tam Diuturnas e condenada novamente por Pio IX na Quanta Cura e seu Sílabo de Erros Modernos.
      • Na disciplina geral da Igreja, de São Pedro a Pio XII, os Papas sempre insistiram enfaticamente no dever das nações de professar a verdadeira fé, ao passo que toda a Igreja Conciliar considerou seu dever remover a confissão pública do catolicismo de toda e qualquer nação católica que ainda reconhecia os privilégios da Igreja, mudando suas constituições (Espanha e Colômbia), e silenciando qualquer alusão ao reinado social de Jesus Cristo nas “obras missionárias” da Igreja Conciliar e na sua liturgia.
    • Conclusão. Este decreto herético, de efeitos catastróficos, jamais pode ter vindo da Igreja Católica.

MATERIAL COMPLEMENTAR

 

Anúncios

2 comentários em “O Magistério Conciliar II: O Código de 1983 e a Dignitatis Humanae

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s