Monsenhor Dolan: Perguntas e Respostas sobre a Missa una cum

SOBRE A MISSA UNA CUM E UM MITO TRIBAL DO TRADICIONALISMO

Monsenhor Dolan responde a três perguntas frequentes:

– O que pensar sobre as Missas ditas una cum?
– O que fazer quando não há como ir a uma Missa não una cum?
–  O que pensar da posição “Reconhecer e Resistir”?

ENTRE EM CONTATO

E-mail para contato com o Rev. Pe. Rodrigo da Silva:
rodrigomariasajm@gmail.com

E-mail para os vocacionados:
vocacoesseminariosaojose@gmail.com

Telefone para contato:
+55 22 98173-7253

APOIE O APOSTOLADO

Contas para o envio de doações em prol do Apostolado de Monsenhor Daniel Dolan no Brasil:

Banco do Brasil
Titular: Rodrigo Henrique Ribeiro da Silva
Ag 2350-7
Cc 43020-X

Caixa Econômica Federal
Agência 0046
013
Conta POUPANÇA 00026514-7
CPF: 059.864.014-25
Rodrigo Henrique Ribeiro da Silva

E-mail para depósito no PayPal
rodrigomariasajm@gmail.com

TRANSCRIÇÃO DA CONFERÊNCIA

M. D. = Monsenhor Daniel Dolan
P. D. = Padre Ariel Damin
P. R. = Padre Rodrigo da Silva

P. R. – Monsenhor, tenho algumas perguntas do Brasil. Muita gente se pergunta se pode ir assistir a Missa, frequentar a Missa una cum, tanto das comunidades Ecclesia Dei, como da Fraternidade e da Resistência. Creio que no Brasil os fiéis ficam sem ver as diferenças entre as missas ou [sem saber] porque nós preferimos os sacerdotes ou missas não una cum.

M. D. – Obrigado, padre. Esta é uma questão muito boa e certamente muito importante, pois esta seria a nossa ruína mesmo de um ponto de vista prático, já que muitas pessoas pensam “Bem, tudo o que importa é ter uma Missa em latim”, mas então onde é que você traça a sua linha? Por que não ir na missa de um padre da Resistência? Por que não ir na missa de um padre da FSSPX? Ou por que não ir na missa de um padre Ecclesia Dei? E, finalmente, por que não ir a uma Missa diocesana? Já que a sua religião é o que nós chamamos de Missa-latinismo, por assim dizer, a religião da Missa em latim? Realmente não há limites e eu te digo que esta não é a minha religião, a minha religião é a católica.

Este é o ponto: se você tem a Igreja Católica, você tem tudo o que você precisa: ela é a sua Mãe, ela é a Esposa Imaculada de Cristo, ela é uma gloriosa imagem da sempre Virgem Maria, ela é tudo o que nós desejamos e necessitamos. Ora, pode ser que para você seja difícil encontrar um sacerdote ou encontrar uma Missa boa, encontrar os sacramentos. Embora na medida que cresce o número de nossos sacerdotes e ficamos mais organizados, essas dificuldades vão desaparecendo.

Seja como for, você tem tudo o que você precisa, se você é um católico. Mas se você tem uma missa em latim na [religião do] missa-latinismo, você não tem absolutamente nada. Você não tem uma Missa que agrada a Deus Todo-Poderoso e talvez ele nem seja válida. E você certamente não tem a fé católica e a Igreja Católica.

Veja: o dabo pode e faz uso mesmo do Santo Sacrifício da Missa para promover seus próprios objetivos e fins. Em muitos momentos da história, houveram missas cismáticas ou heréticas. Veja o exemplo dos ortodoxos orientais, os gregos e os russos. Suas missas são um sacrilégio, uma ofensa a Deus Todo-Poderoso. No entanto, elas são válidas, muito mais válidas que a Missa em sua paróquia. Você pode ir na missa ortodoxa oriental? Alguns pensam que sim, mas por que pensam eles assim? Por ignorância e por causa deste missa-latinismo.

O que importa é que a Missa seja a oblatio munda, a oferta pura a Deus todo-poderoso. Mas eu vivo muito longe de uma missa não una cum. seria tão difícil ir até lá com minha família ou é preciso viajar muito. Eis uma boa objeção prática. Como eu respondo?

Por que você vai a Missa? Você vai a Missa para receber alguma coisa ou para dar alguma coisa? Que é o sacrifício da Missa? Eis a questão primordial. Você vai a Santa Missa para dar Deus a Deus, sua reverência, Jesus Cristo em sua natureza humana entregando a natureza humana ante o trono de Deus, em adoração e submissão, oferecendo Deus a Deus, ela não é uma coisa para mim, mas é algo perfeito para Deus.

Por que a Missa una cum – una cum significa em comunhão com – porque ela não é uma Missa perfeita? Não é, porque ela é uma Missa – como disse em meu primeiro vídeo – que põe uma mentira no momento mais santo da Missa, isto é, diz que você está em comunhão com este impostor, com este arqui-herege, este bruxo, Bergoglio, o que não é verdade. Então, por que mentir? Por que fingir o que ofende a Deus? E então a outra questão é esta: como você pode declarar a si mesmo unido ao bispo dos bispos, ao Papa, se ele nem sequer é um papa, se nem é um bispo válido e talvez nem seja um padre válido? Com alguém que ensina falsidades e heresias?

Toda a doutrina de todos os padres da Igreja, desde os primeiros, Irineu de Lião, por exemplo, citando apenas um de muitos, muitos, insiste na unidade dos fiéis com seu bispo: um altar, uma fé; mas você não está unido a Bergoglio, você não o segue, não se você tem bom senso, certamente você não o faz.

Então, porque toda essa confusão? Por causa do missa-latinismo. E veja: toma-se um tempo, fazem cinquenta anos desde as mudanças, toma um tempo para as pessoas começarem a perceber as coisas, no começo ninguém percebeu o que se passava.

Eu me recordo na FSSPX, no primeiro capítulo geral, pensando comigo mesmo: Por que eles não estudam esses assuntos? Por que eles impõem esses mitos ou ideologias convenientes, essas soluções políticas para as questões? Eles nunca o fizeram na FSSPX e os estudos que já fizeram foram modernistas e cheios da ignorância. Por quê? Porque este é um movimento político e não religioso. É uma seita e não parte da Igreja Católica. Então não se engane: estude o assunto e, para cada assunto que aparece e que você encontra como um católico tradicional, o que você tem de fazer é isto: não pergunte a si mesmo o que eu quero, o que é conveniente para mim, o que funciona melhor na minha vida. Não! Pergunte: o que Deus quer de mim? Como salvar a minha alma imortal? Qual é o ensinamento infalível da Igreja Católica? Não descanse, não pare até que você a encontre. O Deus Todo-Poderoso nos abençoou hoje. Nós, católicos sedevacantistas, somos simplesmente católicos que recusam mudar sua religião, que recusam qualquer coisa que tenha a ver com a religião modernista e conciliar do Vaticano II. O Deus Todo-Poderoso nos abençoou com muitos padres jovens e muitos jovens pelo mundo que querem respostas para essas questões, que não estão dispostos a aceitar a resposta de alguém, porque ela é a resposta de um terceiro, que não tem autoridade, que não tem o ensinamento da Igreja, o ensinamento dos Padres, o ensinamento dos santos, não, eles querem a verdade.

Eu o convido a juntar-se a nós desejando a verdade também. Além disso, hoje se você está conectado à internet, a Santa Missa está disponível. Você pode assistir a Missa da nossa Igreja, Santa Gertrudes, a Grande, que é transmitida pela internet todos os dias. Assisti-la espiritualmente é muito melhor que ofender a Deus Onipotente, indo a uma Missa que é corrupta, absolutamente inválida, certamente ilícita e ofensiva a Deus, colocando um dos grandes inimigos de todos os tempos do cristianismo, este maldito Bergoglio, no sacratíssimo cânon da Missa. Isso nós não podemos fazer e isso nós não o faremos. Espero ter respondido a sua pergunta, padre.

P. R. – Obrigado, Monsenhor. Alguns também perguntam: Aqueles que estão impossibilitados de ir a Missa, todos os domingos e dias de guarda, o senhor aconselha alguma prática piedosa, por exemplo, o Rosário, a comunhão espiritual, ou como se faz nos Estados Unidos?

M. D. – Bem, como mencionei, uma possibilidade, se você tem uma boa conexão à internet, é seguir a Missa conosco espiritualmente. Em todo caso, é importante rezar e a oração mais poderosa, depois da Sagrada Liturgia, é a oração do Santo Rosário. Certamente, a maioria de vocês já tem o costume de rezar o Rosário, um terço todo o dia. Isso é muito importante. Vocês devem fazer isso juntos aos domingos de maneira especial.

Pode ser que seja bom fazer como os católicos nos Estados Unidos faziam alguns seculos atrás, quando faltavam padres – dificilmente se conseguia achar missionários -, então eles liam algumas das orações da Missa: a Epístola, o Evangelho, a Coleta e faziam uma ativa comunhão espiritual. Em minha experiência, você, em sua família, pode em realidade ter uma fé mais forte rezando juntos em casa do que qualquer um poderia ter indo nestes grupos, pois todos eles enfraquecem a fé, põem sua fé em perigo.

Lembre-se, por fim, do poder do próprio Rosário, lembre-se o que os santos ensinavam sobre o valor da comunhão espiritual, em particular Santa Madalena de Pazzi que ensina que uma comunhão espiritual bem-feita – e você poderia fazer várias por dia -, dá quase tantas graças quanto a comunhão sacramental. Logo, você deve praticá-la, você deve concentrar-se na prática de unir a si mesmo a Nosso Senhor. A pequena oração de Santo Afonso é muito útil para este fim. “Eu desejo vos receber com amor e devoção, eu me arrependo dos meus pecados, vinde a mim meu querido Jesus, vinde agora ao meu coração.”

Faça-o e para os seus pecados você deve examinar sua consciência todas as noites, faça um ato de contrição perfeita, que é perfeita por causa do motivo, o motivo é: “Arrependo-me de meus pecados, porque eu ofendi a vós, meu Deus, que sois o Sumo Bem”, pelo amor de Deus você se arrepende e, o quanto puder, você firmemente decide não tornar mais a pecar, este é um ato de contrição perfeita. Este ato seria aceito e até seus pecados seriam perdoados e manteria sua alma em paz até a próxima vez que você encontrar um sacerdote.

Portanto, é possível salvar sua alma dentro destas circunstancias, mas não é possível salvá-la se você compromete nossa fé. Lembre-se do que eu disse antes: o que me leva a fazer isso [= estar em comunhão com Bergoglio]? Mito, tradição, costume, seguir a corrente, fazer o que todo mundo faz, eventualmente é uma atitude egocêntrica, não estamos aqui para ser egoístas, mas para nos entregar a Deus.

P. R. – Obrigado. Temos tempo para mais uma pergunta, Monsenhor?

M. D. – Sim, como não? Estou aqui para isso.

P. R. – Muitos creem, ao menos na Resistência de onde vim, que a posição Reconhecer e Resistir é a verdadeira posição católica, ou seja, reconhecemos como católico a Bergoglio e a hierarquia modernista pós-conciliar e, ao mesmo tempo, resistimos a legítima hierarquia da Igreja. Este também é o posicionamento da Fraternidade Sacerdotal São Pio X de Monsenhor Lefebvre. Como o senhor vê esta posição de reconhecimento e resistência ao Magistério da Igreja?

M. D. – Caro padre, eu não gostaria de ser descaridoso, não gostaria de ofender ninguém gratuitamente, mas veja: será que esses bispos realmente conhecem o seu catecismo? Como um todo, a posição Reconhecer e Resistir, entendida como uma obrigação católica, é inteiramente estúpida e imperdoavelmente estúpida. Eles devem responder por isso perante o Deus Todo-Poderoso, pois promovem um mito, uma falsidade, uma superstição, de onde é que eles tiraram essa ideia? Ninguém, jamais, na história da Igreja, ensinou tal coisa. De onde eles tiraram isso? De Lefebvre, talvez? Eles fizeram dele um tipo de profeta, tomam certas citações dele e as agrupam ou pregam juntas para fazer disso uma espécie de teologia.

Saia da Fraternidade Sacerdotal São Pio X! Saia da Resistência! Eles inventaram uma teologia que lhes é conveniente, mas veja: o que é isso? Se você inventa sua própria doutrina, se você escolhe uma nova doutrina para seguir, em vez daquela da Igreja Católica, você termina com uma heresia. Heresia vem do grego e significa escolher. Eu não escolheria algo novo, eu escolheria ficar com a Igreja Católica, com seu magistério infalível.

Existem muitos diferentes graus de solenidade – como todos sabemos – do ensinamento de uma certa doutrina, mas a medida última é esta: o que chamamos do Magistério Ordinário, o catecismo, o ensinamento da maioria dos teólogos, o ensinamento de uma encíclica, todos eles obrigam em consciência e devem ser aceitos por nós. Certamente existem muitas distinções teológicas, porém não se perca nisso, esta é uma tentação para tornar a vida tão complicada, não precisamos ser tão complicados.

Sou católico e aceito o que a Igreja Católica ensina. Por que está a Igreja Católica aqui? Por que eu preciso de Monsenhor Faure? Ou de Lefebvre (que descanse em paz)? Não preciso destes homens. Ou de Williamson? Ou de Fellay? Que Deus nos livre de Fellay, ele realmente se acha em uma situação ruim. Não preciso deles, de seus mitos e novidades, suas ideias. Eu tenho o catecismo do Concílio de Trento, eu tenho o Denzinger, eu tenho minha fé católica. Eu sei o que a Igreja ensina, eu sei por que a Igreja Católica está aqui: a Igreja Católica está aqui para ensinar-me, não estou eu aqui para ensiná-la ou para resistir-lhe, não, não. Tudo isso é falso, tudo falso.

Meu amigo, apenas saia de tudo isso, afaste-se, abandone-o. Você se sentirá muito melhor e assim você poderá dedicar o seu tempo estudando sua fé e ajudando a esclarecer outros também.  Formemos pequenos grupos de católicos, que podem estudar sua fé juntos e então podem promovê-la aos demais e apoiar os bons sacerdotes que virão para trazer-lhes uma Missa boa e os sacramentos.

P. R. – Muito obrigado, Monsenhor. Creio que estamos muito felizes com sua ajuda e não só com os sacramentos, mas também com a doutrina, a verdadeira doutrina. Agradecemos também ao Padre Ariel Damin, superior dos monfortinos, da Congregação de Nossa Senhora do Rosário, que também vai visitar-nos no Brasil, se Deus quiser, e assim também o Monsenhor que, se Deus quiser, vai visitar-nos no próximo ano. Estamos organizando as datas e, se Deus quiser, estaremos unidos neste trabalho.

P. D. – Uma coisa muito importante hoje na Igreja Católica é fomentar a missão das vocações. Se não há vocações sacerdotais, se não há sacerdotes que queiram dar glória a Deus e salvar as almas, então não haverá bom apostolado. É por isso que o fundamento de todo o nosso apostolado é formar bons seminários para que se formem bons e santos sacerdotes. E daí teremos justamente um florescimento da Igreja ainda que em meio da apostasia. O Papa São Pio X pôs todo o seu empenho, em seu pontificado, para que se formassem bons sacerdotes e santos sacerdotes, justamente para sempre renovar a Igreja na tradição. Uma verdadeira renovação consiste em enraizar-se mais na tradição católica para que cresça a doutrina, a moral e a espiritualidade católica e assim a graça de Deus; e o que melhor do que esses canais de graça, que são justamente os sacerdotes?

P. R. – Muito obrigado, padre. Então, para o Brasil temos duas organizações religiosas. Os frades que já são bem conhecidos nossos e para os que querem, para os que têm uma vocação sacerdotal ou sentem um chamado ao sacerdócio, o Monsenhor nos autorizou a começar no próximo ano, o ano de humanidades. Então, aqueles que querem ingressar futuramente em um seminário, ter uma formação sacerdotal, tem que primeiro estudar as coisas mais simples ou humanas – por isso se chamam humanidades -, e também levar uma vida espiritual de oração, e ao mesmo tempo de estudo. Então pretendemos [começar], com a graça de Deus e a ajuda do Monsenhor e também do padre Ariel Damin, que também vai dar-nos alguma ajuda e também aulas no próximo ano. Então, quem se interessar e querer começar a consagra-se a Deus são bem-vindos, entrem em contato conosco por meio de nosso site ou por telefone também, [falando com] aqueles que já nos acompanham.

Então, Monsenhor, se quiser, pode dizer algumas palavras finais e depois dar a sua benção para todos.

M. D. – As minhas últimas palavras são: a nossa fé católica não é complicada, ela é muito simples. A fim de, nos EUA diríamos, “ter um bolo e comê-lo ao mesmo tempo”, muitos grupos e líderes tradicionais introduziram toda essa complicação. Nós somos simplesmente católicos, que fomos nascidos pelo batismo como católicos e queremos viver e morrer como católicos. Há uma simples e verdadeira religião católica. Nós queremos nos livrar das heresias dos modernistas e qualquer conexão com elas, quereremos manter nossa fé católica tradicional, assim como ela foi transmitida até nós. Eu o convido a unir-se a nós nesta obra de ser simplesmente católicos e nada mais.

E agora dou-lhes a minha benção: Que a benção do Deus Onipotente, Pai, Filho e Espírito Santo, desça sobre vós e permaneça para sempre. Amém.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s