Teatro na Missa

Compartilhar controvérsia

Tudo o que São João Crisóstomo disse sobre as sinagogas de sua época, hoje nós, que sabemos algo a respeito da revolução litúrgica dos anos sessenta, podemos aplicar às paróquias modernistas que seguem o Novus Ordo Missae.

O modernismo é um teatro, a Missa Nova é um teatro, os padres, bispos e papas modernistas se portam como atores desse teatro macabro que tem servido unicamente para distrair as pessoas dos seus deveres cristãos e anestesiar as suas consciências para que assim “pequem em paz” e se lancem de cabeça nas redes do mundo moderno.

Essas coisas são evidentes em si mesmas, porém custa um pouco para a gente se dar conta disso. Eu mesmo e minha família, mesmo depois de sabermos algumas coisas sobre a Santa Missa (sempre pesquisando por conta própria), continuamos indo por um tempo à Missa modernista da paróquia. Porém, graças a Deus, houve um momento em que dissemos “basta!” e o resultado foi maravilhoso.

Sofremos muito e ainda sofremos, como todo vivente neste vale de lágrimas sofre, mas com a consciência tranquila e sem mais patrocinar a falta de respeito generalizada e sempre reinante nos ambientes pós-conciliares.

Encorajo todos a seguirem o nosso exemplo, ciente de que é o melhor a fazer. Não há teatro sem plateia, meus amigos. Se rejeitamos o modernismo, das duas uma: ou eles fecham a companhia de teatro Vaticano II, ou são obrigados a mudarem drasticamente de conduta para não perderem o emprego.

E notem o seguinte: Se as pessoas deixarem de seguir o péssimo conselho de modernistas como Padre Paulo Ricardo, Padre Leonardo e Dom Fernando Arêas Rifan – isto é, não importa que o padre diga heresias contra a fé e a moral cristã, não importa que tudo seja uma imensa falta de respeito ao Santíssimo Sacramento, apenas cale-se e vá à Missa aos domingos! -, o “grande risco” que elas correm é o de escapar de um sacrilégio, de não ouvir heresias e não ver gente se comportando como se estivesse em um teatro… porque, afinal de contas, as paróquias modernistas, como as sinagogas do tempo de São João Crisóstomo, não passam de teatros, sendo por muitos motivos até piores do que eles.


Compartilhar controvérsia

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.