Calendário Controvérsia Católica 2022 – Tema: As Ordens Religiosas

Chegou o Calendário Controvérsia Católica 2022, cuja edição traz como tema mensal 12 Ordens Religiosas da Santa Igreja. Cada mês contará com uma belíssima imagem e texto descritivo, referente a uma ordem religiosa específica, indo dos Salesianos de Dom Bosco em janeiro às Monjas Concepcionistas em dezembro. Outra característica especial desta edição é um suplemento com a relação das Epístolas e Evangelhos de todos os Domingos e Principais Dias Santos, para que você possa acompanhar, com toda a comodidade, as leituras da Missa Dominical e outras festas importantes.

O Calendário, que se distribui em 15 páginas grandes no formato A3, apresenta as Festas e os Santos do Ano Litúrgico, incluindo o Próprio do Brasil, cada qual com a indicação de sua categoria e cor litúrgica, assim como as observâncias (jejum e abstinência) para os tempos penitenciais, segundo o Direito Canônico Pio-Beneditino e as rubricas de São Pio X. Além disso, em sua introdução, este contempla os Dias Santos de Guarda, a lei do jejum e abstinência, universal e do Brasil; e as devoções de cada mês, com a proposta de 36 exercícios de piedade, todos enriquecidos com indulgências, 3 para cada mês do ano. Em suma, o Calendário Controvérsia Católica 2022 é completo, interessante e tradicional, um poderoso auxílio para sua formação católica.

Valor à vista 89,00
Via Pix para diogodeguaramirim@gmail.com
ou transferência/depósito bancário

Valor parcelado, em até 3x: 99,00 (ou então em mais vezes com acréscimo)
Via PagSeguro: https://pag.ae/7XLXTb9em

A primeira remessa será enviada no dia 7 de dezembro, Vigília da Imaculada Conceição. Garanta já o seu!

Por gentileza, envie o comprovante e informe o endereço de entrega via inbox ou whatsapp/telegram para (47) 99101-3580.

Seguem imagens da capa e do mês de janeiro (resolução para web, não corresponde à alta resolução original), acompanhadas do Editorial 2022.

EDITORIAL

O gênero humano, depois que «pela inveja de Lúcifer» se rebelou contra Deus, dividiu-se como que em dois campos, diversos e inimigos entre si; um deles combate sem cansaço em favor do triunfo da verdade e do bem, o outro pelo triunfo do mal e do erro. O primeiro é o reino de Deus sobre a terra, isto é, a verdadeira Igreja de Jesus Cristo; e quem lhe quiser pertencer com afeto sincero e como convém à salvação, deve servir com toda a mente e todo o coração a Deus e a seu Filho Unigênito. O segundo é o reino de Satanás e são seus súditos os que, seguindo os exemplos funestos de seu chefe e dos progenitores, se recusam a obedecer à lei eterna e divina, e sem preocupar-se com Deus, empreendem muitas coisas contra Deus. Santo Agostinho descreveu esses dois reinos, semelhantes a duas cidades que com leis opostas vão para fi ns opostos, e remontou ao princípio gerador de ambos com estas palavras: «Duas cidades nasceram de dois amores, a terrena do amor de si até o desprezo de Deus, a celeste do amor de Deus até o desprezo de si.» (De Civitate Dei, l. XIV, c. 17). Em toda a longa série dos séculos, essas duas cidades combateram uma contra a outra, com as armas e combates variados, ainda que nem sempre com o mesmo ardor e ímpeto. (Papa Leão XIII, Humanum Genus). Cada uma das diversas corporações religiosas, que formam o exército brilhante, inexpugnável da Igreja, geralmente costuma pelejar nas batalhas do Senhor, manejando uma arma especial. Esta, no silêncio do claustro, na solidão dos bosques, saboreando as delícias da vida contemplativa, tem particular destreza em arremessar o dardo valente da oração: Ingens telus est oratio [Grande dardo é a oração]; aquela, dedicada aos afãs da vida ativa, às lidas penosas do Apostolado, brande com maestria e pujança o gládio acerado da palavra divina: Lingua eorum gladius acutus [Sua língua é uma espada afi ada]; essa outra, consagrada inteiramente à tarefa ingrata de educar e instruir a mocidade, é perita no manejo da arma poderosa do ensino. De sorte que a Esposa de Jesus Cristo anda cercada, guardada, defendida por uma admirável variedade de armas: Adstitit regina circumdata varietate [Apresentou-se à rainha… cercada de variedade]. (Dom Vital, A Maçonaria e os Jesuítas). Neste ano de 2022, busquemos conhecer melhor este formidável aparato de armas e de homens santos que, em tempos difíceis, foram suscitadas pela Divina Providência, a fi m de fornecer à Igreja de Deus os instrumentos necessários para o combate espiritual, «porque não é contra a carne e o sangue que temos de lutar, e sim contra os principados e as potestades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra os espíritos malignos espalhados nos ares.» (Eph. 6, 10-17).

O gênero humano, depois que «pela inveja de Lúcifer» se rebelou contra Deus, dividiu-se como que em dois campos, diversos e inimigos entre si; um deles combate sem cansaço em favor do triunfo da verdade e do bem, o outro pelo triunfo do mal e do erro.

O primeiro é o reino de Deus sobre a terra, isto é, a verdadeira Igreja de Jesus Cristo; e quem lhe quiser pertencer com afeto sincero e como convém à salvação, deve servir com toda a mente e todo o coração a Deus e a seu Filho Unigênito. O segundo é o reino de Satanás e são seus súditos os que, seguindo os exemplos funestos de seu chefe e dos progenitores, se recusam a obedecer à lei eterna e divina, e sem preocupar-se com Deus, empreendem muitas coisas contra Deus.

Santo Agostinho descreveu esses dois reinos, semelhantes a duas cidades que com leis opostas vão para fi ns opostos, e remontou ao princípio gerador de ambos com estas palavras: «Duas cidades nasceram de dois amores, a terrena do amor de si até o desprezo de Deus, a celeste do amor de Deus até o desprezo de si.» (De Civitate Dei, l. XIV, c. 17).

Em toda a longa série dos séculos, essas duas cidades combateram uma contra a outra, com as armas e combates variados, ainda que nem sempre com o mesmo ardor e ímpeto. (Papa Leão XIII, Humanum Genus).

Cada uma das diversas corporações religiosas, que formam o exército brilhante, inexpugnável da Igreja, geralmente costuma pelejar nas batalhas do Senhor, manejando uma arma especial. Esta, no silêncio do claustro, na solidão dos bosques, saboreando as delícias da vida contemplativa, tem particular destreza em arremessar o dardo valente da oração: Ingens telus est oratio [Grande dardo é a oração]; aquela, dedicada aos afãs da vida ativa, às lidas penosas do Apostolado, brande com maestria e pujança o gládio acerado da palavra divina: Lingua eorum gladius acutus [Sua língua é uma espada afi ada]; essa outra, consagrada inteiramente à tarefa ingrata de educar e instruir a mocidade, é perita no manejo da arma poderosa do ensino. De sorte que a Esposa de Jesus Cristo anda cercada, guardada, defendida por uma admirável variedade de armas: Adstitit regina circumdata varietate [Apresentou-se à rainha… cercada de variedade]. (Dom Vital, A Maçonaria e os Jesuítas).

Neste ano de 2022, busquemos conhecer melhor este formidável aparato de armas e de homens santos que, em tempos difíceis, foram suscitadas pela Divina Providência, a fi m de fornecer à Igreja de Deus os instrumentos necessários para o combate espiritual, «porque não é contra a carne e o sangue que temos de lutar, e sim contra os principados e as potestades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra os espíritos malignos espalhados nos ares.» (Eph. 6, 10-17).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s