Ave Maris Stella – Seminário São José

Ave, Maris Stella,
Dei mater alma,
Atque semper Virgo,
Felix caeli porta.

Sumens illud Ave,
Gabrielis ore,
Funda nos in pace
Mutans Evae nomen.

Solve vincla reis,
Profer lumen caecis,
Mala nostra pelle,
Bona cuncta posce.

Monstra te esse Matrem,
Sumat per te preces,
Qui pro nobis natus
Tulit esse tuus.

Virgo singularis,
Inter omnes mitis,
Nos, culpis solutos,
Mites fac et castos.

Vitam praesta puram,
Iter para tutum:
Ut, videntes Jesum,
Semper collaetemur.

Sit laus Deo Patri,
Summo Christo decus
Spiritui Sancto,
Tribus honor unus. Amen.

Tradução:

Ave, do mar Estrela
De Deus mãe bela,
Sempre virgem, da morada
Celeste Feliz entrada.

Ó tu que ouviste da boca
Do anjo a saudação;
Dá-nos a paz e quietação;
E o nome da Eva troca.

As prisões aos réus desata.
E a nós cegos alumia;
De tudo que nos maltrata
Nos livra, o bem nos granjeia.

Ostenta que és mãe, fazendo
Que os rogos do povo seu
Ouça aquele que, nascendo
Pos nós, quis ser filho teu.

Ó virgem especiosa,
Toda cheia de ternura,
Extintos nossos pecados
Dá-nos pureza e bravura,

Dá-nos uma vida pura,
Põe-nos em vida segura,
Para que a Jesus gozemos,
E sempre nos alegremos.

A Deus Pai veneremos:
A Jesus Cristo também:
E ao Espírito Santo; demos
Aos três um louvor: Amém.

Anúncios

De Maria nunquam satis

Sermão da Anunciação proferido pelo Reverendo Padre Héctor Romero.

As glórias de Maria resplandecem nesta festa da Anunciação, na qual o Filho de Deus, a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade, fez-se homem por meio de Maria Santíssima. De fato, assumindo a natureza humana no seio puríssimo de Maria, o Verbo de Deus se tornou Jesus Cristo, Sumo Sacerdote, Pontífice entre Deus e os homens. Na Anunciação, o Filho de Deus escolheu a mais excelente das mães, aquela que brilha sobre todas por sua humildade: Maria não faz um alto conceito de si mesma até quando recebe louvores de São Gabriel e se apresenta diante de Deus como escrava. Humildade tão admirável quanto o seu poder, esta de quem Deus espera a resposta para somente então cumprir o seu eterno desígnio de salvação. Tantas são as lições que nos ensina a vida da Beata Virgem Maria, sobretudo neste nosso tempo de liberalismo e feminismo. Que a verdadeira devação à Virgem Maria aumente em nós a virtude da humildade e da obediência a fim de acolhermos sempre o que for da vontade de Deus com presteza e resignação..

Conflito e Perseverança

Sermão do III Domingo da Quaresma proferido pelo Reverendo Padre Héctor Romero.

A partir deste momento da Quaresma, a Igreja passa a mostrar mais claramente o conflito entre Nosso Senhor e os seus inimigos, sobretudo entre Ele e o mundo que o desmerece, bem representado no Evangelho de hoje pelos fariseus que o acusam de proceder do demônio quando, na verdade, o fato mesmo de expulsá-los revela antes que Jesus Cristo é o Salvador prometido aos judeus, enviado do Pai para libertar os homens do jugo do demônio.

Este Evangelho nos ensina muitas lições: ninguém, nem os justos, estão isentos de serem acusados com base em calúnias e juízos temerários; devemos nos armar contra o demônio por meio da oração feita com as devidas disposições, pois sem o auxílio de Cristo – aquele que vence o Maligno, destruindo seu império – seremos vencidos por ele; devemos ainda vigiar, isto é, pôr o Evangelho em prática pela caridade, pois este é o caminho pelo qual chegaremos à bem-aventurança eterna.

Festa de São José: Protetor da Santa Igreja, Esposo da Santíssima Virgem Maria e Padroeiro de nossa Capela e Seminário

Sermão da festa de São José, Protetor da Santa Igreja, Esposo da Santíssima Virgem Maria e Padroeiro de nossa Capela e Seminário.

São José é o Patrono da Santa Igreja, Esposo da Santíssima Virgem Maria e Padroeiro de nossa Capela e Seminário. Não obstante os sofrimentos que teve de padecer, São José foi o protetor por excelência da Sagrada Família. Guardião que foi do Menino Jesus e da Augusta Mãe de Deus, hoje continua velando pela família dos discípulos de Nosso Senhor, a Santa Igreja Católica Apostólica Romana.

A assistência de São José sobre a Igreja é notável e podemos até dizer que ela é empiricamente constatável. De fato, a obra mesma deste Seminário é fruto e sinal da vigilância deste santo varão sobre a Igreja de Deus.

É fruto, porque este Seminário não se concebeu e construiu sem a elevação de preces ao glorioso São José e seguramente podemos dizer que esta obra só se mantém de pé, em meio de tantas adversidades, porque goza de seu patrocínio.

É ainda sinal de sua proteção, pois esta casa de formação tem por objetivo formar sacerdotes que sigam o exemplo de São José, isto é, que zelosamente guardem tudo o que é de Jesus, Nosso Rei e Senhor. Protetores da Igreja, guardiões da fé, varões que se conformem à fé e piedade do castíssimo esposo da Santíssima Virgem: é a estes que queremos formar em nosso Seminário, cujo distintivo é a defesa intransigente dos dogmas e preceitos negados pelas heresias de nosso tempo, sobretudo pelo modernismo institucionalizado pelo Vaticano II.

Eis então a confissão de nossa dívida para com São José, eis também a missão deste Seminário, coisa bastante difícil para os homens, mas fácil para Deus e ainda mais fácil com a intercessão de São José. Tornamos, pois, público o nosso emocionado agradecimento a nosso Padroeiro e aproveitamos para renovar o nosso compromisso de formar sacerdotes inteiramente devotados ao serviço de Jesus Cristo, sacerdotes à imagem de São José.

Aproveitamos também para convidar todos quantos que assim pensem a cooperar com esta obra, aos leigos em geral pelas orações, assistência às cerimônias públicas da capela e também dando o apoio material devido aos ministros de Cristo; aos moços em particular pela séria consideração de sua vocação, refletindo se acaso Deus não os tenha assinalado para seguir o caminho da sacerdócio. Com oração constante e ajuda mútua, santificaremos as nossas almas e glorificaremos a Deus com as nossas obras.

II Domingo da Quaresma: Sofrimento e Consolação

Sermão do II Domingo da Quaresma proferido pelo Reverendo Padre Héctor Romero.

“Não se devem buscar as consolações de Deus”, dizem os Santos, “mas o Deus das consolações.” De fato, as consolações que Deus nos envia no meio de nossa peregrinação sobre a terra servem para nos mostrar o quanto Deus, nosso Sumo Bem, tem precedência sobre os negócios terrenos e o quanto Ele merece toda a nossa dedicação e devoção, mesmo ao ponto de nos levar a fazer grandes sacrifícios por amor de Deus. Que neste tempo da Quaresma, recebamos a graça de aprender a tudo sofrer por Deus Nosso Senhor.

Mais informações sobre a Capela e Seminário São José em: https://www.facebook.com/Semin%C3%A1rio-S%C3%A3o-Jos%C3%A9-St-Joseph-Seminary-Atibaia-S%C3%A3o-Paulo-Brasil-2017118301688457/

Pecados da Língua: Falso testemunho e juízo temerário

Quando o assunto é moral, o sexto mandamento costuma chamar mais a atenção que os demais, porque sua transgressão gera maior escândalo e consequentemente maior dano à reputação do pecador. Porém, não menos atenção se deve dar aos pecados da língua, isto é, àqueles contra o oitavo mandamento da lei de Deus. Com efeito, se o pecado contra o sexto mandamento faz o homem semelhante às bestas, o pecado contra o oitavo assemelha-o aos demônios. Examine então o fiel a sua consciência, veja se tem incorrido em alguma falta nesse respeito e procure emendar-se nesta Quaresma, tempo favorável para santificar-se na presença de Deus.

Misericórdia e Penitência

A paciência de Deus nos deve levar a penitência e não a presunção. É por isso que a Quaresma é tanto um sinal da misericórdia de Deus, que se dignou conceder um tempo para a nossa conversão, quanto da urgente necessidade que temos de emendar as nossas faltas e satisfazer pelos nossos pecados. Que nesta Quaresma correspondamos à misericórdia divina, fazendo os exercícios de penitência com alegria, não para causar admiração nos homens, mas para receber o prêmio eterno que Deus prometeu ao pecador penitente.