A Estrada Real da Santa Cruz

A ESTRADA REAL DA SANTA CRUZ

Na foto: São João da Cruz vê Nosso Senhor e quando este lhe pede o que deseja em retribuição de seus serviços, o santo responde: “Senhor, quero padecer e ser desprezado por Vós.” (Crisógono de Jesus, Vida de San Juan de la Cruz. In: Vida y Obra de San Juan de la Cruz. 10ª ed. Madrid: BAC, 1978, cap. 18, p. 292.)

IMITAÇÃO DE CRISTO

LIVRO II

12. Da estrada real da santa cruz

Via: Imitação de Cristo

A muitos parece dura esta palavra: Renuncia a ti mesmo, toma a tua cruz e segue a Jesus Cristo (Mt 16,24). Muito mais duro, porém, será de ouvir aquela sentença final: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno (Mt 25,41). Pois os que agora ouvem e seguem, docilmente, a palavra da cruz não recearão então a sentença da eterna condenação. Este sinal da cruz estará no céu, quando o Senhor vier para julgar. Então todos os servos da cruz, que em vida se conformam com Cristo crucificado, com grande confiança chegar-se-ão a Cristo juiz.

Por que temes, pois, tomar a cruz, pela qual se caminha ao reino do céu? Na cruz está a salvação, na cruz a vida, na cruz o amparo contra os inimigos, na cruz a abundância da suavidade divina, na cruz a fortaleza do coração, na cruz o compêndio das virtudes, na cruz a perfeição da santidade. Não há salvação da alma nem esperança da vida, senão na cruz. Toma, pois, a tua cruz, segue a Jesus e entrarás na vida eterna. O Senhor foi adiante, com a cruz às costas, e nela morreu por teu amor, para que tu também leves a tua cruz e nela desejes morrer. Porquanto, se com ele morreres, também com ele viverás. E, se fores seu companheiro na pena, também o serás na glória.

Verdadeiramente, da cruz tudo depende, e em morrer para si mesmo está tudo; não há outro caminho para a vida e para a verdadeira paz interior, senão o caminho da santa cruz e da contínua mortificação. Vai para onde quiseres, procura quanto quiseres, e não acharás caminho mais sublime em cima nem mais seguro embaixo que o caminho da santa cruz. Dispõe e ordena tudo conforme teu desejo e parecer, e verás que sempre hás de sofrer alguma coisa, bom ou mau grado teu; o que quer dizer que sempre haverás de encontrar a cruz. Ou sentirás dores no corpo, ou tribulações no espírito.

Ora serás desamparado de Deus, ora perseguido do próximo, e o que é pior não raro serás molesto a ti mesmo. E não haverá remédio e nem conforto que te possa livrar ou aliviar; cumpre que sofras quanto tempo Deus quiser. Pois Deus quer ensinar-te a sofrer a tribulação sem alívio, para que de todo te submetas a ele e mais humilde te faças pela tribulação. Ninguém sente tão vivamente a paixão de Cristo como quem passou por semelhantes sofrimentos. A cruz, pois, está sempre preparada e em qualquer lugar te espera. Não lhe podes fugir, para onde quer que te voltes, pois em qualquer lugar a que fores, te levarás contigo e sempre encontrarás a ti mesmo. Volta-te para cima ou para baixo, volta-te para fora ou para dentro, em toda parte acharás a cruz; e é necessário que sempre tenhas paciência, se queres alcançar a paz da alma e merecer a coroa eterna.

Se levares a cruz de boa vontade, ela te há de levar e conduzir ao termo desejado, onde acaba o sofrimento, posto que não seja neste mundo. Se a levares de má vontade, aumenta-lhe o peso e fardo maior te impões; contudo é forçoso que a leves. Se rejeitares uma cruz, sem dúvida acharás outra, talvez mais pesada.

Pensas tu escapar àquilo de que nenhum mortal pôde eximir-se? Que santo houve no mundo sem tribulação? Nem Jesus Cristo, Senhor Nosso, esteve uma hora, em toda a sua vida, sem dor e sofrimento. Convinha, disse ele, que Cristo sofresse e ressurgisse dos mortos, e assim entrasse na sua glória (Lc 24,26). Como, pois, buscas tu outro caminho que não seja o caminho real da santa cruz?

Toda a vida de Cristo foi cruz e martírio; e tu procuras só descanso e gozo? Andas errado, e muito errado, se outra coisa procuras e não sofrimentos e tribulações; pois toda esta vida mortal está cheia de misérias e assinalada de cruzes. E quanto mais uma pessoa faz progressos na vida espiritual, tanto maiores cruzes encontra, muitas vezes, porque o amor lhe torna o exílio mais doloroso.

Mas, apesar de tantas aflições, o homem não está sem o alívio da consolação, porque sente o grande fruto que lhe advém à alma pelo sofrimento da cruz. Pois, quando de bom grado a toma às costas, todo o peso da tribulação se lhe converte em confiança na divina consolação. E quanto mais a carne é cruciada pela aflição, tanto mais se fortalece o espírito pela graça interior. E, às vezes, tanto se fortalece, pelo amor das penas e tribulações que, para conformar-se com a cruz de Cristo, não quisera estar sem dores e sofrimentos, pois julga ser tanto mais aceito a Deus, quanto mais e maiores males sofre por seu amor. Não é isto virtude humana, mas graça de Cristo, que tanto pode e realiza na carne frágil, que o espírito com ardor abraça e ama o que a natureza aborrece e foge.

Não é conforme à inclinação humana levar a cruz, amar a cruz, cartigar o corpo e impor-lhe sujeição, fugir às honras, aceitar as injúrias, desprezar-se a si mesmo e desejar ser desprezado, suportar as aflições e desgraças e não almejar prosperidade alguma neste mundo. Se olhares somente a ti, reconheces que de nada disso és capaz. Mas, se confiares em Deus, do céu te será concedida a fortaleza, e sujeitar-se-ão ao teu mando o mundo e a carne. Nem o infernal inimigo temerás, se andares escudado na fé e armado com a cruz de Cristo.

Portanto, como bom e fiel servo de Cristo, dispõe-te a levar a cruz do teu Senhor, por teu amor crucificado. Prepara-te a sofrer muitos contratempos e incômodos nesta vida miserável, pois em todaa parte, onde quer que estiveres, ou te esconderes, os encontrarás. Convém que assim seja e não há outro remédio contra a tribulação da dor e dos males senão sofrê-los com paciência. Bebe, generoso, o cálice do Senhor, se queres ser seu amigo e ter parte com ele. Entrega a Deus as consolações, para ele dispor delas como lhe aprouver. Tu, porém, dispõe-te a suportar as tribulações e considera-as como as consolações mais preciosas, porquanto não têm proporção as penas do tempo com a glória futura (Rom 8,18) que havemos de merecer, ainda que tu só as devesses sofrer todas.

Quando chegares a tal ponto que a tribulação te seja doce e amável por amor de Cristo, dá-te por feliz, pois achaste o paraíso na terra. Enquanto o padecer te é molesto e procuras fugir-lhe, andas mal, e em toda parte te persegue o medo da tribulação.

Se te resolveres ao que deves, isto é, a padecer e morrer, logo te sentirás melhor e acharás paz. Ainda que fosses arrebatado, com S.Paulo, ao terceiro céu, nem por isso estarias livre de sofrer alguma contrariedade. Eu, diz Jesus, mostrar-lhes-ei quanto terá de sofrer por meu nome (At 9,16). Não te resta, pois, senão sofrer se pretendes amar e servir a Jesus para sempre.

Oxalá fosses digno de sofrer alguma coisa pelo nome de Jesus! Que grande glória resultaria para ti, que alegria para os santos de Deus, e que edificação para o próximo! Pois todos recomendam a paciência, ainda que poucos queiram praticá-la. Com razão devias padecer, de bom grado, este pouco por amor de Cristo, quando muitos sofrem pelo mundo coisas incomparavelmente maiores.

Fica sabendo e tem por certo que tua vida deve ser uma morte contínua, e quanto mais cada um morre a si mesmo, tanto mais começa a viver para Deus. Só é capaz de compreender as coisas do céu quem por Cristo se resolve a sofrer toda adversidade. Nada neste mundo é mais agradável a Deus nem mais proveitoso a ti, que o sofrer, de bom grado, por Cristo. E se te dessem a escolha, antes deverias desejar sofrer adversidade, por amor de Cristo, do que ser recreado com muitas consolações porque assim serias mais conforme a Cristo, e mais semelhante a todos os santos. Porquanto não consiste nosso merecimento e progresso espiritual em ter muitas doçuras e consolações, mas em sofrer grandes angústias e tribulações.

Se houvera coisa melhor e mais proveitosa para a salvação dos homens do que o padecer, Cristo, de certo, o teria ensinado com palavras e exemplo. Pois claramente exorta seus discípulos e quantos o desejam seguir a que levem a cruz, dizendo: Quem quiser vir após mim renuncie a si mesmo, tome sua cruz, e siga-me (Lc 9,23). Seja, pois, de todas as lições e estudos este o resultado final: Cumpre-nos passar por muitas tribulações, para entrar no reino de Deus (At 14,21).

Anúncios

Jesu, Rex Admirabilis (Palestrina)

 

Coral da Igreja Santa Gertrudes, a Grande, West Chester, Ohio. Diretor: Joan Lotarski. Organista: Andrew Richesson. Domingo do Rosário, 1º de outubro de 2017. A nova ala de barítonos acrescenta profundidade ao nosso som!

JESU, REX ADMIRABILIS (PALESTRINA)

1. Jesu, Rex admirabilis
Et triumphator nobilis
Dulcedo ineffabilis
Totus desiderabilis.

2. Mane nobiscum Domine
Et nos illustra lumine
Pulsa mentis caligine
Mundum reple dulcedine.

3. Te saeculorum Principem,
Te, Christe, regem gentium,
Te mentium, Te cordium
unum fatemur arbitrum.

4. Amor Iesus continuus
Mihi languor assiduus
Mihi Iesus mellifluus
Fructus vitæ perpetuus

5. Quocumque loco fuero
Semper Iesum desidero
Amore Iesus langueo
& corde totus ardeo

Tradução em português:

JESUS, REI ADMIRÁVEL

1. Jesus, Rei admirável,
E conquistador nobre,
Doçura inefável,
Todo desejável.

2. Ficai conosco, Senhor,
E sobre nós brilhe vossa luz,
Afastai as trevas da mente,
Enchei de doçura o mundo.

3. Vós, o Príncipe dos séculos,
Vós, o Cristo, o rei das nações,
Vós, das mentes e corações,
confessamos o único Juiz.

4. O contínuo amor de Jesus,
Sempre me faz desfalecer,
Para mim, ó doce Jesus,
Sois perene fruto da vida.

5. Onde quer que eu esteja,
Sempre suspirarei por Jesus,
No amor de Jesus desfaleço,
E nele arde todo o meu coração.

Oração pela Igreja

Há quem descura da prática da religião, tomando por pretexto a falta de progresso na Igreja Católica. Mas não há progresso quanto ao conteúdo da religião verdadeira. É errado dizer e condenada a tese: “A revelação divina é imperfeita e por isso sujeita a um progresso contínuo e ilimitado, correspondente ao progresso da razão humana.” As doutrinas da verdadeira religião podem ser enunciadas com mais clareza e assim aplicadas às necessidades da época atual, mas quanto à substância são imutáveis.

 Oração pela Igreja

Vede, Senhor, como de todos os lados se desencadeiam as ventanias e o mar se agita levantando altíssimas vagas. Vós, que só o podeis fazer, imperai aos ventos e ao mar. Dai à humana família a verdadeira paz que o mundo não pode dar, a tranquilidade da ordem. Fazei que os homens pela vossa graça e pelo vosso impulso tornem à ordem devida, restaurando em seus corações a piedade para com Deus, a justiça e a caridade para com o próximo, a temperança para consigo mesmos, pelo pleno domínio da razão sobre a sensualidade. Venha o vosso reino, e todos aqueles que, longe de vós, em vão se afanam em busca da verdade e da salvação; entendam que é coisa indispensável que a vós se submetam e sirvam. É da natureza das vossas leis a justiça e a suavidade paterna; e vós mesmo nos dais espontaneamente, por meio de vossa graça, a força de observá-las. A vida do homem é uma verdadeira milícia sobre a terra; porém vós mesmo sois espectador da batalha. Ajudai o homem a vencer, animai-o, quando o virdes esmorecer e corai-o, quando sair vencedor. Amém.

(200 dias de indulg.)

(REUS S.J., Padre João Batista. Orai: Manual de Orações e Instruções Religiosas. Porto Alegre, 1934, p. 28-29.)

Oração para o cumprimento dos deveres cristãos

A Igreja católica é a única verdadeira. É falso dizer e foi condenada a tese “os homens pelo exercício de qualquer religião podem achar o caminho da eterna salvação e a bem-aventurança eterna.” É igualmente reprovada pela Igreja a tese: “Cada homem é livre de aceitar e professar a religião que tem por verdadeira guiado da luz da razão.” Portanto o homem não é livre de adotar uma religião qualquer, mas deve seguir a católica.

Oração para o cumprimento dos deveres cristãos

Jesus, Maria e José, abençoai-nos e dai-nos a graça de amar, como é de nosso dever, a santa Igreja mais que todas as outras coisas da terra e de mostrar-lhe este nosso amor sempre e mormente pelas nossas ações. Pai Nosso. Ave Maria. Glória.

Jesus, Maria e José, abençoai-nos e dai-nos a graça de professar a fé, que recebemos gratuitamente no santo batismo, como é de nosso dever, franca e corajosamente, sem respeito humano. Pai Nosso. Ave Maria. Glória.

Jesus, Maria e José, abençoai-nos e dai-nos a graça de defender e exaltar a nossa santa fé, como o nosso dever o exige, com a nossa palavra, com os nossos haveres e e até com o sacrifício de nossa vida, quando de nós depender. Pai Nosso. Ave Maria. Glória.

Jesus, Maria e José, abençoai-nos e dai-nos a graça de nos amarmos todos uns aos outros, como é de nossa obrigação, e de estabelecer perfeita harmonia no nosso modo de pensar, querer e agir, debaixo da direção e em dependência dos nossos superiores eclesiásticos. Pai Nosso. Ave Maria. Glória.

Jesus, Maria e José, abençoai-nos e dai-nos a graça de conformar, como é nossa obrigação, a nossa vida com os preceitos e mandamentos de Deus e da Igreja, afim de vivermos sempre naquele amor, que representa o compêndio dos mandamentos. Pai Nosso. Ave Maria. Glória.

(300 dias de indulg.)

(REUS S.J., Padre João Batista. Orai: Manual de Orações e Instruções Religiosas. Porto Alegre, 1934, p. 29-30.)

Pela conversão dos maçons

Oração pela conversão dos maçons

Senhor Jesus Cristo, que manifestastes a vossa onipotência máxime perdoando e compadecendo-vos e que dissestes: Rogai pelos que vos perseguem e caluniam, invocamos a bondade do vosso santíssimo Coração pelas almas, que criadas à imagem de Deus, mas miseravelmente enganadas pela ardilosa sedução dos maçons, andam trilhando sempre mais os caminhos da perdição. Não permitais pois, daqui em diante, que a Igreja, vossa esposa, seja por eles oprimida; mas pela intercessão da bem-aventurada Virgem Maria, vossa mãe, e pelas preces dos justos aplacado, esquecei a sua malícia e fazei que voltem a vós, que consolem a Igreja pela penitência mais perfeita possível, que reparem as suas maldades e alcancem a eterna bem-aventurança; vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos. Amém.

(100 dias de indulg.)

REUS S.J., Padre João Batista. Orai: Manual de Orações e Instruções Religiosas. Porto Alegre, 1934, p. 39s.

 Oração a S. José para repelir as tentações e guardar a castidade

 Oração a S. José para repelir as tentações e guardar a castidade

Ó S. José, guarda e pai das almas virginais, a cuja fiel proteção foi confiado Jesus Cristo, a Inocência mesma, e a Virgem das virgens, Maria: por estes dois caríssimos penhores – Jesus e Maria – vos rogo e conjuro, que façais que eu, resguardado de toda a impureza, com a alma sem mancha, com coração puro e corpo casto, sempre em perfeita castidade sirva a Jesus e Maria. Amém.

(100 dias de indulg. 1877.)

REUS S.J., Padre João Batista. Orai: Manual de Orações e Instruções Religiosas. Porto Alegre, 1934, p. 336.

A Treze de Maio na Cova da Iria

Nossa Senhora de Fatima

Baixar música em MP3

A treze de maio na Cova da Iria
Dos Céus aparece a Virgem Maria
Ave, ave, ave Maria
Ave, ave, ave Maria

A três pastorinhos cercada de luz
Visita Maria, a mãe de Jesus
Ave, ave, ave Maria
Ave, ave, ave Maria

A Virgem nos manda o Terço rezar,
Assim diz meus filhos vos hei de selvar
Ave, ave, ave Maria
Ave, ave, ave Maria

E quer penitência a ela convida
Perdão não teremos sem mudar de vida
Ave, ave, ave Maria
Ave, ave, ave Maria

Vesti com modéstia e muito pudor
Olhai como veste a mãe do Senhr
Ave, ave, ave Maria
Ave, ave, ave Maria

Vivamos cristãos sem mancha e labéu,
Que a Virgem nos guia a todos pra o Céu
Ave, ave, ave Maria
Ave, ave, ave Maria