Santo Rosário em Latim: Fórmula breve para recitar todos os dias

PDF: Sanctum Rosarium

SANCTUM ROSARIUM

In nomine Patris, et Filii, et Spiritus Sancti. Amen.

Ato de Contrição

Senhor meu Jesus Cristo, Deus e homem verdadeiro, Criador e Redentor meu: por serdes Vós quem sois, sumamente bom e digno de ser amado sobre todas as coisas, e porque Vos amo e estimo, pesa-me, Senhor, de todo o meu coração, de Vos Ter ofendido; pesa-me também de Ter perdido o céu e merecido o inferno; e proponho firmemente, ajudado com o auxílio de Vossa divina graça, emendar-me e nunca mais Vos tornar a ofender. Espero alcançar o perdão de minhas culpas pela Vossa infinita misericórdia. Amém.

Credo in Deum Patrem omnipotentem, Creatorem cæli et terræ. Et in Jesum Christum, Filium ejus unicum, Dominum nostrum, qui conceptus est de Spiritu Sancto, natus ex Maria Virgine, passus sub Pontio Pilato, crucifixus, mortuus, et sepultus, descendit ad inferos, tertia die resurrexit a mortuis, ascendit ad cælos, sedet ad dexteram Dei Patris omnipotentis, inde venturus est judicare vivos et mortuos. Credo in Spiritum Sanctum, sanctam Ecclesiam catholicam, sanctorum communionem, remissionem peccatorum, carnis resurrectionem, vitam æternam. Amen.

Mysteria gaudiosa

In primo mysterio gaudioso, Anuntiatio Beátæ Maríæ Vírginis contemplatur, et humílitas pétitur.

Pater Noster. Ave Maria (10). Gloria Patri. Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas todas para o Céu, e socorrei principalmente as que mais precisarem.

In secundo mysterio gaudioso, Visitatio Beátæ Maríæ Vírginis contemplatur, et amor fratrum pétitur.

In tertio mysterio gaudioso, Nativitas Dómini Nóstri Jésu Chrísti contemplatur, et amor paupertátis pétitur.

In cuarto mysterio gaudioso, Purificatio Beátæ Maríæ Vírginis in templo contemplatur, et obediéntia pétitur.

In quinto mysterio gaudioso, Inventio Dómini Nóstri Jésu Chrísti in templo contemplatur, et volúntas inquæréndi Déum pétitur.

Sancte Michael Archangele, defende nos in prœlio, contra nequitiam et insidias diaboli esto præsidium. Imperet illi Deus, supplices deprecamur: tuque, Princeps militiæ cælestis, Satanam aliosque spiritus malignos, qui ad perditionem animarum pervagantur in mundo, divina virtute, in infernum detrude. Amen.

Mysteria dolorosa

In primo mysterio doloroso, Oratio et Agonia Dómini Nóstri Jésu Chrísti contemplatur, et dólor pro peccatis nostris pétitur.

In secundo mysterio doloroso, Flagellatio Dómini Nóstri Jésu Chrísti contemplatur, et mortificátio córporum nostrórum pétitur.

In tertio mysterio doloroso, Coronatio spinis Dómini Nóstri Jésu Chrísti contemplatur, et mortificatio supérbiæ pétitur.

In quarto mysterio doloroso, Bajulatio crucis a Dómino Nóstro Jésu Chrísto contemplatur, et patiéntia in tribulatione pétitur.

In quinto, Crucifixio Dómini Nóstri Jésu Chrísti contemplatur, et donum súi ipsíus ad redemptiónem animárum pétitur.

Mysteria gloriosa

In primo mysterio glorioso, Resurrectio Dómini Nóstri Jésu Chrísti contemplatur, et fídes pétitur.

In secundo mysterio glorioso, Ascensio Dómini Nóstri Jésu Chrísti in cælum contemplatur, et desiderium supernorum pétitur.

In tertio mysterio glorioso, Descensio Spíritus Sáncti contemplatur, et cháritas pétitur.

In quarto mysterio glorioso, Assumptio Beátæ Maríæ Vírginis in cælum contemplatur, et gratia bene moriéndi pétitur.

In quinto mysterio glorioso, Coronatio Beátæ Maríæ Vírginis in cælo contemplatur, et fidúcia in María Regína Nostra pétitur.

Oração da manhã e da noite para ser recitada todos os dias

ORAÇÃO DA MANHÃ

Pai Nosso, Ave Maria, Credo.

Oferecimento do dia

Eu Vos adoro, meu Deus, e Vos amo de todo o coração. Dou-Vos graças por me terdes criado, feito cristão e conservado nesta noite. Ofereço-Vos as ações deste dia; fazei que sejam todas segundo a Vossa santa vontade, para maior glória Vossa. Preservai-me do pecado e de todo o mal. A Vossa graça seja sempre comigo e com todos os que me são caros. Amém.

Consagração a Nossa Senhora

Senhora minha, ó minha Mãe, eu me ofereço todo a Vós, e em prova da minha devoção para convosco, Vos consagro neste dia meus olhos, meus ouvidos, minha boca, meu coração e inteiramente todo o meu ser. E porque assim sou Vosso, ó boa Mãe, guardai-me e defendei-me como coisa e propriedade Vossa. Amém.

Ao anjo da Guarda

Santo Anjo do Senhor, meu zeloso guardador, se a ti me confiou a piedade divina, sempre me rege, guarde, governe e ilumine. Amém.

ORAÇÃO DA NOITE

Pai Nosso, Ave Maria, Credo.

Ação de graças

Eu Vos adoro, meu Deus, e Vos amo de todo o coração. Dou-Vos graças por me terdes criado, feito cristão e conservado neste dia. Perdoai-me as faltas que hoje cometi e se fiz algum bem aceitai-o. Guardai-me durante o repouso e livrai-me dos perigos. A Vossa graça seja sempre comigo e com todos os que me são caros. Amém.

Exame de consciência Individual, em silencio.

Ato de contrição

Meu Deus, porque sois infinitamente bom, tenho muita pena de Vos ter ofendido, ajudai-me a não mais tornar a pecar.

Ato de fé

Eu creio firmemente que há um só Deus em três pessoas realmente distintas, Pai, Filho e Espírito Santo, que dá o céu aos bons e o inferno aos maus para sempre. Creio que o Filho de Deus se fez homem, padeceu e morreu na cruz para nos salvar, e que ao terceiro dia ressuscitou. Creio tudo o mais que crê e ensina a Santa Igreja Católica, Apostólica, Romana, porque Deus, verdade infalível, lho revelou. E nesta crença quero viver e morrer.

Ato de Esperança

Eu espero, meu Deus, com firme confiança, que pelos merecimentos de meu Senhor Jesus Cristo me dareis a salvação eterna e as graças necessárias para consegui-la, porque Vós, sumamente bom e poderoso, o haveis prometido a quem observar fielmente os Vossos mandamentos, como eu proponho fazer com o Vosso auxílio.

Ato de Caridade

Eu Vos amo, meu Deus, de todo o meu coração e sobre todas as coisas, porque sois infinitamente bom e amável, e antes quero perder tudo do que Vos ofender. Por amor de Vós, amo meu próximo como a mim mesmo.

Oração à Sagrada família

Jesus, Maria e José, modelos perfeitíssimos de recolhimento, caridade e humildade, alcançai-nos a graça de imitarmos as sublimes virtudes que praticastes na terra e dignai-vos proteger a todos nós, que agora prostrados na vossa presença imploramos o vosso patrocínio. Lembrai-vos, ó Jesus, Maria e José, de que somos inteiramente vossos; defendei-nos, pois, de todo e qualquer perigo, socorrei-nos em nossas necessidades e dai-nos graças para nos mantermos constantemente na imitação da vossa santa Família, a fim de que, servindo-vos fielmente na terra, possamos depois bendizer-vos por toda a eternidade no Céu. Amém.

Lembrai-vos

Lembrai-vos, ó Piíssima Virgem Maria, de que nunca se ouviu dizer, que algum daqueles que tenha recorrido à vossa clemência, implorado a vossa assistência, reclamado o vosso socorro, fosse por vós abandonado. Animado eu, pois, com igual confiança, a vós, Virgem das Virgens, como Mãe recorro, de vós me valho e gemendo sob o peso de meus pecados, me prosto a vossos pés. Não desprezeis as minhas súplicas, ó mãe do Verbo de Deus humanado, mas dignai-vos de as ouvir propícia e de me alcançar o que vos rogo. Amém

Download em PDF

Oração a Nosso Senhor Jesus Cristo Rei

Oração a Nosso Senhor Jesus Cristo Rei

Ó Cristo Jesus! Reconheço-Vos como Rei universal. Tudo o que foi feito, por Vós foi criado. Exercei sobre mim todos os vossos direitos. Renovo as minhas promessas do Batismo, renunciando a Satanás, às suas pompas e às suas obras; e muito particularmente me comprometo a fazer triunfar, por todos os meios ao meu alcance, os direitos de Deus e da vossa Igreja!

Divino Coração de Jesus! Ofereço-Vos minhas pobres ações, para alcançar que todos os corações reconheçam vossa Realeza sagrada e assim se estabeleça no universo inteiro o reinado da vossa paz. Amém.

(Esta oração foi composta por Pio XI como renovação das promessas do Batismo. Pode ser rezada antes ou depois da comunhão.)

Cf. A Realeza de Cristo contra a Liberdade Religiosa.

Resumo do que há de fazer um cristão para se santificar e salvar

RESUMO DO QUE HÁ DE FAZER UM CRISTÃO PARA SE SANTIFICAR E SALVAR

Dom Macedo Costa

Pelo bispo do Pará, Dom Antônio Macedo Costa, oferecido aos seus diocesanos por ocasião do jubileu universal de 1875.

Para ser um verdadeiro cristão e um santo é preciso:

1.º Crer todas as verdades da fé.
2.º Pôr em Deus toda a nossa esperança.
3.º Amar a Deus sobre todas as coisas.
4.º Encomendar-se sempre a Deus com fervorosa oração, e frequentar os sacramentos.
5.º Guardar os preceitos de Deus e da Igreja.
6.º Aborrecer muito o pecado.
7.º Mortificar as próprias paixões.
8.º Adquirir e praticar as virtudes cristãs.
9.º Amar ao próximo como a si mesmo.
10.º Fazer a todos o bem que puder.
11.º Cuidar de subir ao maior grau de perfeição.
12.º Cumprir as obrigações do próprio estado.
13.º Ter sempre na lembrança a eternidade.
14.º Impor ao corpo alguma mortificação e trazê-lo sempre sujeito à alma.
15.º Viver com os poucos para não se perder com os muitos.
16.º Andar sempre na presença de Deus.
17.º Pensar sempre na paixão e morte de Jesus.
18.º Ser verdadeiro devoto de Maria Santíssima.

Obrigações dos meninos e moços:

1.º Frequentar a doutrina cristã.
2.º Respeitar os mais velhos.
3.º Evitar a vadiação e más companhias.
4.º Fugir dos divertimentos perigosos.
5.º Recolher-se cedo a cesta.
6.º Velar muito sobre si.
7.º Fugir do amor desonesto.
8.º Não tirar escondido coisa alguma.
9.º Suplicar a Deus para bem acertar na escolha do estado de vida.
10.º Nunca obrar sem conselho.
11.º Ser polido e atencioso com todos.

Obrigações do negociante:

1.º Contentar-se de lucro moderado.
2.º Dar a todos o justo em peso e medida.
3.º Manifestar os defeitos secretos do objeto que vende.
4.º Não falsificar as mercadorias.
5.º Não atravessar gêneros, nem fazer monopólio para haver carestia.
6.º Não aproveitar-se da necessidade ou ignorância de quem vende ou compra.
7.º Abster-se de todo engano e fraude.
8.º Ser benigno com os pobres.
9.º Guardar-se sobretudo da usura.

Obrigações de uma jovem:

1.º Ser muito modesta em todas as suas ações.
2.º Andar acautelada a cada passo.
3.º Ser grave e sempre decente nas falas e maneiras.
4.º Gostar de estar em casa e ajudar a sua mãe.
5.º Aplicar-se de continuo ao trabalho.
6.º Raras vezes sair e só por necessidade.
7.º Aborrecer a vaidade nos vestidos e enfeites.
8.º Evitar conversações indiscretas com pessoas de diferente sexo.
9.º Evitar dissipações e profanos divertimentos.
10.º Amar os exercícios de piedade.
11.º Ser muito franca, leal e amorosa para sua mãe e não ter segredos para ela.
12.º Edificar com bons exemplos e doutrina seus irmãozinhos menores.

Obrigações do trabalhador:

1.º Oferecer a Deus suas fadigas e trabalhos.
2.º Trabalhar com diligência, economia e exatidão conforme as regras de sua arte.
3.º Não perder tempo.
4.º Abster-se de falar desonestidade ou dizer mal dos outros durante o trabalho.

Obrigações do artífice:

1.º Fazer as obras com presteza e perfeição.
2.º Não trabalhar nem fazer trabalhar os discípulos nos domingos e dias santos de guarda, de meia noite a meia noite.
3.º Mostrar-se sempre sisudo, leal e honesto, acabando as obras no tempo convencionado, e não enganado a ninguém.

Obrigações do rico:

1.º Render graças a Deus pelas riquezas.
2.º Não pôr nelas toda a confiança.
3.º Não aumentá-las com usuras.
4.º Não conservá-las com injustiça.
5.º Pagar as dividas e mercês com prontidão.
6.º Ser caritativo com os pobres e as Igrejas.
7.º Pensar muitas vezes que os mais dos ricos se perdem pelo mau uso de suas riquezas.

Obrigações da mulher casada:

1.º Amar o marido.
2.º Respeitá-lo como seu chefe.
3.º Obedecer-lhe com afetuosa prontidão.
4.º Adverti-lo com discrição e prudência.
5.º Responder-lhe com toda mansidão.
6.º Servi-lo com desvelo.
7.º Calar quando o ver irritado.
8.º Tolerar com paciência seus defeitos.
9.º Não ter olhos, nem coração para outro.
10.º Educar catolicamente os filhos.
11.º Ser muito atenciosa e obediente para o sogro e sogra.
12.º Benévola com os cunhados.
13.º Prudente e mansa, paciente e carinhosa com toda a família.

Obrigações dos súditos civis:

1.º Render fidelidade e respeito à legítima autoridade estabelecida por Deus, e obedecer-lhe no que não se opuser claro à lei do mesmo Deus.
2.º Pagar os tributos fielmente.
3.º Fazer cada um o que puder para o bem do seu país.

Obrigações da viúva:

1.º Viver pura como as virgens.
2.º Vigilante como as casadas.
3.º Dar exemplos de virtude a umas e outras.
4.º Ser amiga do retiro.
5.º Inimiga dos divertimentos mundanos.
6.º Aplicada à oração.
7.º Cuidadosa pelo seu bom nome.
8.º Amante da mortificação.
9.º Zelosa pela glória de Deus.

Obrigações dos filhos e de qualquer pessoa sujeita:

1.º Considerar os pais ou superiores como representantes de Deus.
2.º Amá-los de coração.
3.º Ter para com eles modos e palavras respeitosas na presença e na ausência.
4.º Obedecer-lhes com gosto e prontidão.
5.º Servi-los com fidelidade.
6.º Socorrê-los nas necessidades.
7.º Sofrer em silêncio suas faltas.
8.º Rogar a Deus por eles.
9.º Ter grande cuidado nas coisas que pertencem à família.

Obrigações do chefe de família:

1.º Regular as despesas da família, segundo suas posses.
2.º Não gastar seus bens em jogos e vaidades.
3.º Pagar aos criados e jornaleiros.
4.º Cuidar da educação dos filhos e servos.
5.º Fazer que frequentem a palavra de Deus e os Sacramentos.
6.º Admoestá-los e repreendê-los com prudência.
7.º Castigá-los sem cólera.
8.º Tratar a todos com igualdade.
9.º Tê-los ocupados.
10.º Ajudá-los nas necessidades.
11.º Assistir-lhes na doença.
12.º Dar-lhes bons exemplos.
13.º Encomendá-los a Deus.
14.º Não permitir em sua casa desonestidades e escândalos.

Obrigações do marido:

1.º Amar a esposa, como Jesus Cristo ama a sua Igreja.
2.º Respeitá-la como sua companheira.
3.º Dirigi-la como lhe sendo sujeita.
4.º Guardar-lhe todo o amor e fidelidade.
5.º Sustentá-la com decência.
6.º Sofrê-la com paciência.
7.º Ajudá-la com caridade.
8.º Repreendê-la com benignidade.
9.º Exortá-la ao bem com palavras, e ainda mais com o exemplo.
10.º Não ofendê-la, nem desonrá-la por fatos, nem por palavras.
11.º Não fazer, nem dizer coisa em presença dos filhos, ainda que pequenos, que lhes possa servir de escândalo.

Obrigações do pobre:

1.º Levar em conformidade com a vontade de Deus sua pobreza.
2.º Não se apropriar de nada alheio sob pretexto de pobreza.
3.º Suportar com paciência as suas consumições e trabalhos.
4.º Trabalhar para ir fazendo um ganho honesto.
5.º Procurar enriquecer-se com os bens do Céu.
6.º Lembrar que Jesus e Maria foram pobres.
7.º Render graças a Deus de estar na boa estrada do Paraíso.

Fazei isto e tereis a vida eterna: Hic fac et vivem.

Glória a Deus, Pai, Filho e Espírito Santo, agora e sempre e em todos os séculos!
Amém.

Ave Maris Stella – Seminário São José

Ave, Maris Stella,
Dei mater alma,
Atque semper Virgo,
Felix caeli porta.

Sumens illud Ave,
Gabrielis ore,
Funda nos in pace
Mutans Evae nomen.

Solve vincla reis,
Profer lumen caecis,
Mala nostra pelle,
Bona cuncta posce.

Monstra te esse Matrem,
Sumat per te preces,
Qui pro nobis natus
Tulit esse tuus.

Virgo singularis,
Inter omnes mitis,
Nos, culpis solutos,
Mites fac et castos.

Vitam praesta puram,
Iter para tutum:
Ut, videntes Jesum,
Semper collaetemur.

Sit laus Deo Patri,
Summo Christo decus
Spiritui Sancto,
Tribus honor unus. Amen.

Tradução:

Ave, do mar Estrela
De Deus mãe bela,
Sempre virgem, da morada
Celeste Feliz entrada.

Ó tu que ouviste da boca
Do anjo a saudação;
Dá-nos a paz e quietação;
E o nome da Eva troca.

As prisões aos réus desata.
E a nós cegos alumia;
De tudo que nos maltrata
Nos livra, o bem nos granjeia.

Ostenta que és mãe, fazendo
Que os rogos do povo seu
Ouça aquele que, nascendo
Pos nós, quis ser filho teu.

Ó virgem especiosa,
Toda cheia de ternura,
Extintos nossos pecados
Dá-nos pureza e bravura,

Dá-nos uma vida pura,
Põe-nos em vida segura,
Para que a Jesus gozemos,
E sempre nos alegremos.

A Deus Pai veneremos:
A Jesus Cristo também:
E ao Espírito Santo; demos
Aos três um louvor: Amém.

A carreira de um pecador em onze passos

1º – É tentado pelo inimigo;
2º – – Pensa sobre a tentação;
3º – – – Passa a estimar o pecado;
4º – – – – Alegra-se com o prospecto de o cometer;
5º – – – – – Consente em cometê-lo – pecado mortal;
6º – – – – – – Põe em prática o que consentiu no coração;
7º – – – – – – – Transforma o pecado em um costume – vício;
8º – – – – – – – – Desiste de lutar contra ele, torna-se indiferente;
9º – – – – – – – – – Não o considera mais um pecado, antes o defende;
10º – – – – – – – – – – Considera-o já uma virtude e o ensina aos demais;
11º – – – – – – – – – – – É condenado e precipitado no inferno com Satanás.

Haec est denum longa illa et horrenda peccatorum catena.
Esta é enfim aquela longa e horrenda cadeia dos pecadores.

Em suma, são onze passos:

(1) sugestão, (2) cogitação, (3) afeição, (4) deleitação, (5) consentimento –pecado mortal, (6) operação, (7) hábito, (8) desesperação, (9) defesa do pecado, (10) vanglória e (11) danação.

Cf. S. Petrus Canisius S. J. Summa Doctrinae Christianae cum apendice de hominis lapsu et justificatione secundum sententiam et doctrinam Concilii Tridentini. Landishuti: Offic. Josephi Thomann, MLCCXLII (1842), p. 148.

Novena Natalina de Santo André

NOVENA NATALINA DE SANTO ANDRÉ

Esta novena natalina começa na festa de Santo André Apóstolo, em 30 de novembro, e termina no Natal do Senhor. Tradicionalmente, recita-se a mesma oração quinze vezes ao dia a fim de alcançar copiosas graças. A Novena Natalina de Santo André é uma excelente devoção para o Tempo do Advento, pois prepara a nossa alma para receber Jesus na noite de Natal.

ORAÇÃO

Feliz e bendita seja a hora e momento em que o Filho de Deus nasceu da mais pura Virgem, Santa Maria, à meia-noite, em Belém, na manjedoura fria.

Nessa hora, concedei-me, ó meu Deus! ouvir a minha oração e atender meus pedidos, através dos méritos de Nosso Salvador Jesus Cristo, e de Sua Mãe Santíssima. Amém.

(Recitar 15 vezes ao dia)

A Estrada Real da Santa Cruz

A ESTRADA REAL DA SANTA CRUZ

Na foto: São João da Cruz vê Nosso Senhor e quando este lhe pede o que deseja em retribuição de seus serviços, o santo responde: “Senhor, quero padecer e ser desprezado por Vós.” (Crisógono de Jesus, Vida de San Juan de la Cruz. In: Vida y Obra de San Juan de la Cruz. 10ª ed. Madrid: BAC, 1978, cap. 18, p. 292.)

IMITAÇÃO DE CRISTO

LIVRO II

12. Da estrada real da santa cruz

Via: Imitação de Cristo

A muitos parece dura esta palavra: Renuncia a ti mesmo, toma a tua cruz e segue a Jesus Cristo (Mt 16,24). Muito mais duro, porém, será de ouvir aquela sentença final: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno (Mt 25,41). Pois os que agora ouvem e seguem, docilmente, a palavra da cruz não recearão então a sentença da eterna condenação. Este sinal da cruz estará no céu, quando o Senhor vier para julgar. Então todos os servos da cruz, que em vida se conformam com Cristo crucificado, com grande confiança chegar-se-ão a Cristo juiz.

Por que temes, pois, tomar a cruz, pela qual se caminha ao reino do céu? Na cruz está a salvação, na cruz a vida, na cruz o amparo contra os inimigos, na cruz a abundância da suavidade divina, na cruz a fortaleza do coração, na cruz o compêndio das virtudes, na cruz a perfeição da santidade. Não há salvação da alma nem esperança da vida, senão na cruz. Toma, pois, a tua cruz, segue a Jesus e entrarás na vida eterna. O Senhor foi adiante, com a cruz às costas, e nela morreu por teu amor, para que tu também leves a tua cruz e nela desejes morrer. Porquanto, se com ele morreres, também com ele viverás. E, se fores seu companheiro na pena, também o serás na glória.

Verdadeiramente, da cruz tudo depende, e em morrer para si mesmo está tudo; não há outro caminho para a vida e para a verdadeira paz interior, senão o caminho da santa cruz e da contínua mortificação. Vai para onde quiseres, procura quanto quiseres, e não acharás caminho mais sublime em cima nem mais seguro embaixo que o caminho da santa cruz. Dispõe e ordena tudo conforme teu desejo e parecer, e verás que sempre hás de sofrer alguma coisa, bom ou mau grado teu; o que quer dizer que sempre haverás de encontrar a cruz. Ou sentirás dores no corpo, ou tribulações no espírito.

Ora serás desamparado de Deus, ora perseguido do próximo, e o que é pior não raro serás molesto a ti mesmo. E não haverá remédio e nem conforto que te possa livrar ou aliviar; cumpre que sofras quanto tempo Deus quiser. Pois Deus quer ensinar-te a sofrer a tribulação sem alívio, para que de todo te submetas a ele e mais humilde te faças pela tribulação. Ninguém sente tão vivamente a paixão de Cristo como quem passou por semelhantes sofrimentos. A cruz, pois, está sempre preparada e em qualquer lugar te espera. Não lhe podes fugir, para onde quer que te voltes, pois em qualquer lugar a que fores, te levarás contigo e sempre encontrarás a ti mesmo. Volta-te para cima ou para baixo, volta-te para fora ou para dentro, em toda parte acharás a cruz; e é necessário que sempre tenhas paciência, se queres alcançar a paz da alma e merecer a coroa eterna.

Se levares a cruz de boa vontade, ela te há de levar e conduzir ao termo desejado, onde acaba o sofrimento, posto que não seja neste mundo. Se a levares de má vontade, aumenta-lhe o peso e fardo maior te impões; contudo é forçoso que a leves. Se rejeitares uma cruz, sem dúvida acharás outra, talvez mais pesada.

Pensas tu escapar àquilo de que nenhum mortal pôde eximir-se? Que santo houve no mundo sem tribulação? Nem Jesus Cristo, Senhor Nosso, esteve uma hora, em toda a sua vida, sem dor e sofrimento. Convinha, disse ele, que Cristo sofresse e ressurgisse dos mortos, e assim entrasse na sua glória (Lc 24,26). Como, pois, buscas tu outro caminho que não seja o caminho real da santa cruz?

Toda a vida de Cristo foi cruz e martírio; e tu procuras só descanso e gozo? Andas errado, e muito errado, se outra coisa procuras e não sofrimentos e tribulações; pois toda esta vida mortal está cheia de misérias e assinalada de cruzes. E quanto mais uma pessoa faz progressos na vida espiritual, tanto maiores cruzes encontra, muitas vezes, porque o amor lhe torna o exílio mais doloroso.

Mas, apesar de tantas aflições, o homem não está sem o alívio da consolação, porque sente o grande fruto que lhe advém à alma pelo sofrimento da cruz. Pois, quando de bom grado a toma às costas, todo o peso da tribulação se lhe converte em confiança na divina consolação. E quanto mais a carne é cruciada pela aflição, tanto mais se fortalece o espírito pela graça interior. E, às vezes, tanto se fortalece, pelo amor das penas e tribulações que, para conformar-se com a cruz de Cristo, não quisera estar sem dores e sofrimentos, pois julga ser tanto mais aceito a Deus, quanto mais e maiores males sofre por seu amor. Não é isto virtude humana, mas graça de Cristo, que tanto pode e realiza na carne frágil, que o espírito com ardor abraça e ama o que a natureza aborrece e foge.

Não é conforme à inclinação humana levar a cruz, amar a cruz, cartigar o corpo e impor-lhe sujeição, fugir às honras, aceitar as injúrias, desprezar-se a si mesmo e desejar ser desprezado, suportar as aflições e desgraças e não almejar prosperidade alguma neste mundo. Se olhares somente a ti, reconheces que de nada disso és capaz. Mas, se confiares em Deus, do céu te será concedida a fortaleza, e sujeitar-se-ão ao teu mando o mundo e a carne. Nem o infernal inimigo temerás, se andares escudado na fé e armado com a cruz de Cristo.

Portanto, como bom e fiel servo de Cristo, dispõe-te a levar a cruz do teu Senhor, por teu amor crucificado. Prepara-te a sofrer muitos contratempos e incômodos nesta vida miserável, pois em toda a parte, onde quer que estiveres, ou te esconderes, os encontrarás. Convém que assim seja e não há outro remédio contra a tribulação da dor e dos males senão sofrê-los com paciência. Bebe, generoso, o cálice do Senhor, se queres ser seu amigo e ter parte com ele. Entrega a Deus as consolações, para ele dispor delas como lhe aprouver. Tu, porém, dispõe-te a suportar as tribulações e considera-as como as consolações mais preciosas, porquanto não têm proporção as penas do tempo com a glória futura (Rom 8,18) que havemos de merecer, ainda que tu só as devesses sofrer todas.

Quando chegares a tal ponto que a tribulação te seja doce e amável por amor de Cristo, dá-te por feliz, pois achaste o paraíso na terra. Enquanto o padecer te é molesto e procuras fugir-lhe, andas mal, e em toda parte te persegue o medo da tribulação.

Se te resolveres ao que deves, isto é, a padecer e morrer, logo te sentirás melhor e acharás paz. Ainda que fosses arrebatado, com S. Paulo, ao terceiro céu, nem por isso estarias livre de sofrer alguma contrariedade. Eu, diz Jesus, mostrar-lhes-ei quanto terá de sofrer por meu nome (At 9,16). Não te resta, pois, senão sofrer se pretendes amar e servir a Jesus para sempre.

Oxalá fosses digno de sofrer alguma coisa pelo nome de Jesus! Que grande glória resultaria para ti, que alegria para os santos de Deus, e que edificação para o próximo! Pois todos recomendam a paciência, ainda que poucos queiram praticá-la. Com razão devias padecer, de bom grado, este pouco por amor de Cristo, quando muitos sofrem pelo mundo coisas incomparavelmente maiores.

Fica sabendo e tem por certo que tua vida deve ser uma morte contínua, e quanto mais cada um morre a si mesmo, tanto mais começa a viver para Deus. Só é capaz de compreender as coisas do céu quem por Cristo se resolve a sofrer toda adversidade. Nada neste mundo é mais agradável a Deus nem mais proveitoso a ti, que o sofrer, de bom grado, por Cristo. E se te dessem a escolha, antes deverias desejar sofrer adversidade, por amor de Cristo, do que ser recreado com muitas consolações porque assim serias mais conforme a Cristo, e mais semelhante a todos os santos. Porquanto não consiste nosso merecimento e progresso espiritual em ter muitas doçuras e consolações, mas em sofrer grandes angústias e tribulações.

Se houvera coisa melhor e mais proveitosa para a salvação dos homens do que o padecer, Cristo, de certo, o teria ensinado com palavras e exemplo. Pois claramente exorta seus discípulos e quantos o desejam seguir a que levem a cruz, dizendo: Quem quiser vir após mim renuncie a si mesmo, tome sua cruz, e siga-me (Lc 9,23). Seja, pois, de todas as lições e estudos este o resultado final: Cumpre-nos passar por muitas tribulações, para entrar no reino de Deus (At 14,21).

Jesu, Rex Admirabilis (Palestrina)

 

Coral da Igreja Santa Gertrudes, a Grande, West Chester, Ohio. Diretor: Joan Lotarski. Organista: Andrew Richesson. Domingo do Rosário, 1º de outubro de 2017. A nova ala de barítonos acrescenta profundidade ao nosso som!

JESU, REX ADMIRABILIS (PALESTRINA)

1. Jesu, Rex admirabilis
Et triumphator nobilis
Dulcedo ineffabilis
Totus desiderabilis.

2. Mane nobiscum Domine
Et nos illustra lumine
Pulsa mentis caligine
Mundum reple dulcedine.

3. Te saeculorum Principem,
Te, Christe, regem gentium,
Te mentium, Te cordium
unum fatemur arbitrum.

4. Amor Iesus continuus
Mihi languor assiduus
Mihi Iesus mellifluus
Fructus vitæ perpetuus

5. Quocumque loco fuero
Semper Iesum desidero
Amore Iesus langueo
& corde totus ardeo

Tradução em português:

JESUS, REI ADMIRÁVEL

1. Jesus, Rei admirável,
E conquistador nobre,
Doçura inefável,
Todo desejável.

2. Ficai conosco, Senhor,
E sobre nós brilhe vossa luz,
Afastai as trevas da mente,
Enchei de doçura o mundo.

3. Vós, o Príncipe dos séculos,
Vós, o Cristo, o rei das nações,
Vós, das mentes e corações,
confessamos o único Juiz.

4. O contínuo amor de Jesus,
Sempre me faz desfalecer,
Para mim, ó doce Jesus,
Sois perene fruto da vida.

5. Onde quer que eu esteja,
Sempre suspirarei por Jesus,
No amor de Jesus desfaleço,
E nele arde todo o meu coração.

Oração pela Igreja

Há quem descura da prática da religião, tomando por pretexto a falta de progresso na Igreja Católica. Mas não há progresso quanto ao conteúdo da religião verdadeira. É errado dizer e condenada a tese: “A revelação divina é imperfeita e por isso sujeita a um progresso contínuo e ilimitado, correspondente ao progresso da razão humana.” As doutrinas da verdadeira religião podem ser enunciadas com mais clareza e assim aplicadas às necessidades da época atual, mas quanto à substância são imutáveis.

 Oração pela Igreja

Vede, Senhor, como de todos os lados se desencadeiam as ventanias e o mar se agita levantando altíssimas vagas. Vós, que só o podeis fazer, imperai aos ventos e ao mar. Dai à humana família a verdadeira paz que o mundo não pode dar, a tranquilidade da ordem. Fazei que os homens pela vossa graça e pelo vosso impulso tornem à ordem devida, restaurando em seus corações a piedade para com Deus, a justiça e a caridade para com o próximo, a temperança para consigo mesmos, pelo pleno domínio da razão sobre a sensualidade. Venha o vosso reino, e todos aqueles que, longe de vós, em vão se afanam em busca da verdade e da salvação; entendam que é coisa indispensável que a vós se submetam e sirvam. É da natureza das vossas leis a justiça e a suavidade paterna; e vós mesmo nos dais espontaneamente, por meio de vossa graça, a força de observá-las. A vida do homem é uma verdadeira milícia sobre a terra; porém vós mesmo sois espectador da batalha. Ajudai o homem a vencer, animai-o, quando o virdes esmorecer e corai-o, quando sair vencedor. Amém.

(200 dias de indulg.)

(REUS S.J., Padre João Batista. Orai: Manual de Orações e Instruções Religiosas. Porto Alegre, 1934, p. 28-29.)