Dom Fernando Arêas Rifan: O teu passado te condena

Compartilhar controvérsia

Padre Fernando Arêas Rifan eloquentemente condena a série interminável de palavras e atos ultrajantes e escandalosos cometidos por si mesmo, na qualidade de Dom Fernando Arêas Rifan.

Em passado não muito distante, o então padre de Campos, ordenado por Dom Antônio de Castro Mayer (célebre por sua adesão ao sedevacantismo cf. https://www.youtube.com/watch?v=4tyay9OsbHk), acusava abertamente os papas e bispos modernistas por sua notória cumplicidade com a heresia e imoralidade reinantes nos ambientes pós-conciliares, denunciava com clareza e distinção os erros do Vaticano II e suas detestáveis reformas: sua Missa Nova protestantizada; sua descarada aliança com comunistas; seu ecumenismo apóstata, que só serve para escandalizar e contaminar as almas com os erros das seitas; seu humanismo tipicamente maçônico, que coloca os direitos do homem no lugar dos direitos de Deus.

Padre Rifan sabia que essas coisas levavam à apostasia, isto é, à completa ruína da religião e das almas. Padre Rifan não queria saber de compromissos com o modernismo e por isso combatia os seus principais propagadores. Todavia, esse Padre Rifan não existe mais. Ele deu lugar a Dom Fernando Arêas Rifan, um homem que põe a comunhão com os propagadores do modernismo acima da fé e da moral católica, acima do seu anterior rechaço do Vaticano II, da Missa Nova, do comunismo, do ecumenismo, do humanismo maçônico.

Mais, muito do que isso: um homem capaz de fazer absolutamente tudo o que antes condenava, um homem capaz de adorar o que queimou e de queimar o que adorou. Enfim, um homem infeliz que preferiu perder-se com os muitos do que salvar-se com os poucos.

Dom Fernando Arêas Rifan: o teu passado te condena.


Compartilhar controvérsia

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.