Lula, Francisco e a Choradeira Neocon

Compartilhar controvérsia

A burrice dos neoconservadores chegou a um patamar sem precedentes quando estes foram capazes de aplaudir um documento que cita do princípio ao cabo autores comunistas e subversivos, o qual também se encontra todo em linha com a corrente mais moderna da Teologia da Libertação – uma teoria imbecil, pseudo-teológica, pseudo-científica e sem fundamento cristão, mas que por isso mesmo se enquadra muito bem nos planos e ideais da sinagoga, da maçonaria e da ONU. Assim alegraram-se os neocons pelo mosquito – uhu, os padres não vão casar -, mas deixaram passar um camelo de proporções gigantescas, um camelo que tinha uma saliente pinta vermelha no seu lombo, a qual, onze dias depois, para o pasmo dos observadores desatentos, provou ser uma estrela do PT.

No entanto, neste nosso mundo moderno, não há nada tão ruim que não possa piorar. Como sinal patente de que não sabem do que falam, nem entendem o que leem, as vozes do neoconservadorismo nacional foram capazes de se surpreender e até se emocionar com o fato de o comunista Francisco ter recebido em audiência ao comunista Lula, como se não houvesse entre eles perfeita comunhão de pensamento e de ação. Impressionam-se com um acontecimento assaz previsível e de todo condizente com os movimentos do pseudo-pontificado bergogliano.

Contudo, ninguém se deve admirar de toda essa choradeira. Com efeito, os neoconservadores estão em plena comunhão com Francisco e os demais teólogos da libertação, estão todos juntos debaixo de uma mesma seita modernista que finge ser a Igreja Católica. A reação deles não é reação, a crítica deles não é realmente crítica, porque eles já aceitaram de antemão conferir toda a legitimidade ao inimigo e não há nada neste mundo que o revolucionário faça, realmente nada, que eles não estejam dispostos a tolerar; ainda que para tanto tenham que derramar copiosas lágrimas.

Assim é e tem de ser, porque esses heróis da tolerância, aos quais nenhum Voltaire poderia pôr defeito, aderem à revolução liberal do Vaticano II: eles são os filhos do “tudo pode” em matéria de religião; seu papel na seita modernista é bem-definido e tem funcionado muito bem até aqui: entre lamentos e prantos, abrir e deixar sempre abertas as portas para que entre e se instale a revolução russa dos radicais, os quais hoje são representados por Francisco e os teólogos da libertação, ontem pela dupla Ratzinger e Wojtyla, anteontem por Roncalli e Montini; todos eles convergindo nisto: jamais retornar à doutrina católica e apostólica, aquele Antigo Regime que foi calcada aos pés no Concílio Vaticano II.

E assim eles estão cada vez mais ao gosto do inimigo, sempre mais liberais e sempre mais indulgentes com as medidas mais radicais. Resistem hoje menos do que aqueles que, décadas atrás, começaram a trilhar as sendas do liberalismo herético.

Todos quantos seguem os neocons, saibam que isto nada lhes aproveita, pois seguem pessoas incompetentes e sem perspectiva alguma de representar o catolicismo que eles já fizeram questão de abandonar para o benefício e comodidade de todos os hereges e comunistas. Como péssimas ideias têm terríveis consequências, só se pode esperar que, pela persistência deles nesse caminho torpe, tornem-se eles mesmos cada vez mais semelhantes aos radicais que hoje chorosamente toleram como seus irmãos e pais na fé.


Compartilhar controvérsia

A Maior Mitada do Santa Carona: "Os Rad-Trads são Protestantes!"

Compartilhar controvérsia

ALGUMAS REFERÊNCIAS

Qual é a doutrina católica sobre o ecumenismo https://controversiacatolica.com/2018/06/11/qual-e-a-doutrina-catolica-sobre-o-ecumenismo/

Como se tornar um apologista conciliar https://www.youtube.com/watch?v=KkliysVikXQ&t=170s

Ratzinger: 99% Protestante https://controversiacatolica.com/2019/05/30/ratzinger-99-protestante/

São Pedro Canísio condena o ecumenismo do Vaticano II https://controversiacatolica.com/2018/11/22/sao-pedro-canisio-condena-o-ecumenismo-do-vaticano-ii/

São Roberto Belarmino condena o ecumenismo do Vaticano II https://controversiacatolica.com/2018/12/07/sao-roberto-belarmino-condena-o-ecumenismo-do-vaticano-ii/


Compartilhar controvérsia

Últimas Notícias sobre o Seminário São José (SSJ)

Compartilhar controvérsia

Neste vídeo Padre Rodrigo e eu apresentamos aos nossos benfeitores associados em particular e a todos os que acompanham o nosso trabalho em geral, os resultados obtidos de janeiro para cá e os eventos e projetos deliberados em nossas reuniões ordinárias; explicamos ainda o porquê e como ajudar nossa associação. De maneira especial, agradecemos a todos os que nos têm apoiado e louvamos todos quantos tenham a intenção de colaborar com essa importante obra católica.

Dentre os temas do vídeo, encontram-se:

  • Os próximos eventos realizados no Seminário São José, Retiro de Carnaval e Semana Santa celebrada conforme as rubricas de São Pio X.
  • O projeto de tradução do livro “Obra de Mãos Humanas: Uma Crítica Teológica à Missa de Paulo VI” escrito por Padre Anthony Cekada, bem como os modos com os quais os fiéis podem contribuir para sua publicação.
  • Outras publicações pensadas para os próximos meses.
  • Agradecimento a todos que se inscreveram como membros benfeitores e/ou enviaram doações à conta da associação.
  • A doação de uma Kombi, batizada com o nome de Josefina, o primeiro veículo sedevacantista do Brasil.
  • A necessidade de adquirir no médio prazo uma propriedade-sede do Seminário São José, suficientemente grande para acolher novos candidatos e visitantes.
  • O início do ano acadêmico neste mês de fevereiro.

Compartilhar controvérsia

A MAIOR MITADA DO PAPA FRANCISCO!

Compartilhar controvérsia

“Papa Francisco é um mito!”, diz Guilherme do Santa Carona, um modernista fanático que chegou ao cúmulo do ridículo e da insanidade em sua apologia a Bergoglio. Ele produziu um vídeo sobre as maiores mitadas do “Papa Francisco”, mas se esqueceu da maior de todas! Contudo, nós do Controvérsia vamos mostrar a você essa mitada sem igual.

Em sua Missa na cadeia (Carcere Di Rebibbia) na Quinta-Feira Santa de 2015, Francisco beijou e lavou os pés de um travesti, Isabel, di Lisbona, como se fosse um dos doze apóstolos. Essa é, sem dúvida, a maior mitada de Francisco, uma mitada de heresia contra a moral católica.

FONTES
Entrevista com o Travesti: https://www.youtube.com/watch?v=KnGvgZKSFrI

Missa Completa: https://www.youtube.com/watch?v=480gnx71ev0


Compartilhar controvérsia

Santa Carona, o Pejoteiro Modernista

Compartilhar controvérsia

O Guilherme do Santa Carona fez um vídeo sobre os Rad-Trads, cuja tese principal é que nós seríamos não católicos, uma espécie de PJ.

Mas, por algum motivo inexplicável racionalmente, ele mesmo encontra-se unido aos pejoteiros, tanto porque os admite como parte da seita modernista que ele erroneamente considera a Igreja Católica, quanto porque a própria Pastoral da Juventude, assim como a Teologia da Libertação, é um movimento reconhecido e cultivado pela hierarquia pós-Vaticano II.

É uma imensa tolice crer que um movimento fundamentado no Magistério Revolucionário dos modernistas possa ser de todo estranho à nova religião que o Guilherme do Santa Carona professa, uma vez que a aliança política com comunistas acha-se muito bem fundamentada em documentos como a Pacem in Terris de João XXIII, a Populorum Progressio de Paulo VI, a Gaudium et Spes do Vaticano II e os documentos de Medelin e de Puebla, respectivamente sob Paulo VI e João Paulo II, documentos que criaram e desenvolveram os conceitos nos quais se baseia a Teologia da Liberação e a Pastoral da Juventude.

A “condenação” da Teologia da Libertação a qual costumam aduzir os neoconservadores como o Guilherme é por isso forçosamente parcial, teatral e inefetiva, já que a seita do Vaticano II está, pelos laços do diálogo e do ecumenismo, permanentemente em aliança com todos os inimigos da fé católica e procura afastar-se quanto pode dos ensinamentos do passado, que são, por certo, um obstáculo à unidade judeo-maçônica a que aspira esta seita da Nova Ordem.

Como um membro da seita modernista, o sr. Guilherme prende-se a uma religião provavelmente não mais antiga que a sua avó, a uma tradição herética que já existia como uma série de erros profanos anatematizados pela Igreja. A Igreja do Guilherme não é a de Jesus, São Pedro e Nossa Senhora, não é a Igreja de Pio IX e São Pio X, não; a Igreja do Guilherme é a Igreja de Lutero, Calvino e dos jansenistas, é a Igreja reformada sonhada por Lamennais e Loisy. É a religião do liberalismo e do modernismo, amplamente condenada pelos Papas pré-Vaticano II, tida como herética, apóstata e louca não simplesmente por nós, Rad-Trads, mas por uma longa e ininterrupta série de verdadeiros e legítimos Romanos Pontífices, Vigários de Cristo sobre a Terra.

O Guilherme do Santa Carona já está condenado pelo seu próprio juízo, querendo caluniar os Rad-Trads que hoje crescem como nunca e que seguirão crescendo exponencialmente até seu triunfo final sobre o modernismo, ele acaba dando-nos a ocasião de melhor compreender que apesar de alegar o contrário, os seus próprios atos em prol da seita modernista não fazem dele melhor que um pejoteiro qualquer e cúmplice de pejoteiros. Os artigos abaixo corroboram ainda mais com essa inevitável conclusão.

João XXIII: Precursor e Padroeiro da Teologia da Libertação https://controversiacatolica.com/2018/11/28/joao-xxiii-precursor-e-padroeiro-da-teologia-da-libertacao-i-parte/

A Pacem in Terris de João XXIII: apologia ao liberalismo religioso e endosso ao comunismo e globalismo https://controversiacatolica.com/2018/11/30/a-pacem-in-terris-de-joao-xxiii-apologia-ao-liberalismo-religioso-e-endosso-ao-comunismo-e-globalismo/

Testemunho do embaixador Carl J. Burckardt sobre João XXIII https://controversiacatolica.com/2018/11/27/testemunho-do-embaixador-carl-j-burckardt-sobre-joao-xxiii/

Como se tornar um santo conciliar (versão Paulo VI) https://controversiacatolica.com/2018/12/12/como-se-tornar-um-santo-conciliar-versao-paulo-vi/

Como se tornar um santo conciliar em sete passos (versão João Paulo II) https://controversiacatolica.com/2017/06/02/passo-a-passo-como-se-tornar-um-santo-na-seita-novus-ordo/

Introdução ao modernismo mitigado de Joseph Ratzinger e Padre Paulo Ricardo https://controversiacatolica.com/2018/02/25/introducao-ao-modernismo-mitigado-de-joseph-ratzinger-e-padre-paulo-ricardo/

Bernardo Küster, Padre Paulo Ricardo e Comunismo: A Heresia Neoconservadora https://controversiacatolica.com/2018/12/03/bernardo-kuster-padre-paulo-ricardo-e-comunismo-a-heresia-neoconservadora/

As viagens do Santa Carona: a doutrina católica sobre o Papa https://controversiacatolica.com/2019/01/29/as-viagens-do-santa-carona-a-doutrina-catolica-sobre-o-papa/


Compartilhar controvérsia

Noções sobre a Maçonaria: existência, definição, poder, finalidade e como evitar o perigo maçônico e o socialismo

Compartilhar controvérsia

Noções sobre a Maçonaria: existência, definição, poder, finalidade e como evitar o perigo maçônico e o socialismo [PDF]

Este arquivo PDF contém um texto sintético e altamente informativo sobre as origens, os meios e os objetivos perseguidos pela seita maçônica. É material útil e acessível ao público em geral, pode servir como texto-base de lições sobre o assunto. Para fins introdutórios, juntamente com este texto, recomendo a leitura da Humaum Genus do Papa Leão XIII e a obra El Misterio de la Masonería de Cardeal Caro.

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

DIANDA, Presbítero Gilberto. O Catecismo Maior de Sua Santidade o Papa Pio X – Explicado ao povo segundo a norma do Concílio de Trento: Tomo II – Dos Mandamentos de Deus e da Igreja, das verdades principais e doutras coisas que o christão deve saber. Vizeu: Editora da Revista Catholica, 1915, pp. 39-56.


Compartilhar controvérsia

A Ascendência Rabínica de Bento XVI

Compartilhar controvérsia

NOVE RABINOS ENTRE OS ANTEPASSADOS DE BENTO XVI?

(Chiesa Viva, setembro de 2012, pp. 28-31.)

A ÁRVORE GENEALÓGICA DE RATZINGER

Apresentamos a pesquisa de Gilad ben Aaron, um católico de origem judaica, sobre as origens judaicas de Bento XVI.

A bisavó de Bento XVI, Maria Elisabete (Betty) Tauber, que nasceu judia na Morávia em 1834, parece ter sido excluída de sua família, quando se tornou católica. A Hungria e a Morávia em 1834 eram regiões do Império Austro-Húngaro, até o fim da Primeira Guerra Mundial.

Betty viajou para o sul da região do Império Austro-Húngaro no Sul do Tirol ( hoje parte da Itália), onde teve uma filha, Maria, com Anton Peter Peintner, na cidade de Rasa em 1855. Anton só se casou com Betty três anos depois do nascimento da filha. Betty era filha de Jacob Tauber (1811- 1845) e Josefina (Peppi/Josefa) Knopfelmacher (1819-1886). Jacob Tauber era filho de Jonas e sua mulher, Rebeca Zerkowitz Tauber. A família Zerkowtiz gaba-se do “status KOHEN“.

Rastreando a família Ratzinger, Rieger e Tauber, a família Knopfelmacher, Shiptz, Bachrach, Cohen, chega-se ao Rabino Yehuda Loew bem Bezalel que era o Maharal de Praga.

A Arvore Genealógica é a seguinte:

  1. Rabino Yehuda Loew (Leib) bem Bezalel (o Maharal de Praga) (1512-1609), casou-se com Pearl Shmelkes-Reich (1516-1610).
  2. Vogele Loew (1556-1629) casou-se com Rabino Isak Ha-Cohen (1550-1624).
  3. Chava (Eve) Ha-Cohen (1580-1651) casou-se com Rabino Samuel Bachrach Abraham (1575-1615), Rabino de Worns.
  4. Rabino (Moses) Samson/”Simsom”/Bachrach (1607-1670), Rabino em Goding, Leipnik, Praga e Worns, casou-se com Dobrusch Phobus (1610-1662).
  5. Rabino Jair Chayim Bachrach, aliás “o Yoire Chavas“ (1638-1702), Rabino de Worns, desposou Sarah (Dinah Sorla) Brillin (1638-1703).
  6. Rabino Samson/”Simson´´ casou-se com uma Bachrah (n. 1657), de quem não se conhece o nome.
  7. Bachrah Malka (n. 1680) casou-se com Rabino Zalman Shpitz, presidente de Beit Din [tribunal ou corte rabínica] em Eisenstadt.
  8. (Sarah) Sarl Shpitz (n. 1703) casa-se com Knopfelmacher Rabi Jacob (antes de 1739), “O Mestre”, “Rabino-chefe em Mehrin”.
  9. Nissel Knopfelmacher (n. 1722) casou-se com o mais jovem irmão de seu pai, o Rabino Mosé Knopfelmacher (1718-1798) de Holesov.
  10. Jacob Knopfelmacher (n.1739) casou-se com Katharina (n. 1740).
  11. Joachim Knopfelmacher (n. 1764) casou-se com Anna (n. 1764)..
  12. Markus Knopfelmacher (n. 1786) casou-se com Betty.
  13. Josephine (Peppi/Josefa) Knopfelmacher (1890) casou-se com Jacob Tauber (1811-1845).
  14. Elisabete Maria (Betty) Tauber (1834 em Mahr. WeiBkirchen, Morávia) casou-se em 1858 em Rio de Pusteria, com Anton Peter Peintner.
  15. Maria Tauber Peintner (n. 1855 em Rasa, m. 1930) casou-se com Isidor Rieger.
  16. Maria Peint Rieger (n. 1884) casou-se com Joseph Ratzinger (pai de Joseph Alois Ratzinger).
  17. Joseph Alois Ratzinger (Papa Bento XVI).
Colônia, 19 agosto 2005. Bento XVI em uma visita a Sinagoga onde foi recebido com todas honras pela comunidade judaica. Um gesto que rompe com o comportamento de todos pontífices antes do Vaticano II. Para a Cabala, a Menorá (à esquerda) representa a centelha divina da auto-divinização do homem.

GENEALOGIA TAUBER

Aaron Tauber, antepassado de Elisabella Maria (Betty) Tauber, com toda probabilidade provém da comunidade hebraica do Vale Tauber da Baviera da qual recebeu seu sobrenome. Em seguida ela se transferiu para Morávia. O brasão da família Tauber é uma Pomba ligada ao nome de Jonas. O Padre de Aaron era Jonas dos Tauber que era um descendente do rabino Jonah Géronde. Parece que os descendentes dos Tauber tomaram identidades e nomes católicos durante a perseguição aos hebreus bávaros e, em seguida, retornaram abertamente ao judaísmo na Morá via.

  1. Aaron Tauber de Leipnik Morávia (n. 1658). Seu pai era Jonas dos Tauber, descendente do rabino Jonah Géronde..
  2. Isaac Tauber de Leipnik Morávia (n. 1609) irmão ancião de Joaquim Lobl (Leopold) Tauber Holesov da Morávia.
  3. Jacob Tauber de Lepnik Morávia (n. 1715).
  4. Jonas Tauber de Mahr. WeiBkirchen Morávia ( 1739-1822) desposou a segunda mulher Rebecca Zerkwitz (n.1788.
  5. Jacob Tauber (n. 1811) desposou a segunda mulher Josephine (Peppi/Josefa) Knopfelmacher.
  6. Elisabetta Maria (Betty) Tauber (n.1834 em Mahar).

OS TAUBER: UM DOS RAMOS CABALISTAS MAIS IMPORTANTES DA SINAGOGA

É importante notar que Joseph Alois Ratzinger (Tauber Peintner), hoje Bento xvi, descende de um dos ramos cabalistas mais importantes da Sinagoga (o Grande Rabinato de Praga). Adicionalmente destaque-se o esforço feito pela tribo hebraica (em particular Náftali), a pelo menos 500 anos, para usurpar a Sé de Pedro, como afirmou John Retcclife no capitulo “O cemitério Hebraico de Praga e o Conselho dos representantes das doze tribos de Israel“, no seu livro “Biarritz” que pode ser consultado nos Protocolos dos Sábios de Sião, Edição Especial (completa).

El Shebet Náftali (Praga) disse: “Não aceitar mais posições subordinadas. Da maior importância para nós é a justiça e a defesa. Isso nos dá a oportunidade de conhecer a posição dos nossos inimigos e o seu poder real. Já temos consignado a muitos ministros de finanças e ministros da justiça. O Nosso objetivo é chegar ao Ministério do Culto (o Clero Católico e o Papado, naturalmente). Devemos conseguir exigindo paridade e igualdade civil…” Esse era o escopo do Rabinato de Praga, 160 anos atrás.

Bento XVI com a mitra que leva na frente e atrás, 4 enormes estrelas de 6 pontas com um ponto central. Ora, este símbolo com seus números 7 (6 + 1) representa o Mestre Maçom, a “Pedra Perfeita” ou o “Homem Deus” da maçonaria. A Estrela e o Ponto Central, simboliza a alma judaica, cuja principal essência é a negação da divindade de Jesus Cristo e a auto-divinização do Homem. As grandes 10 pedras vermelhas e verdes centrais formam a dupla de números: 5 (4 pedras vermelhas verticais + a pedra verde) e o 6 (6 pedras vermelhas horizontais); 7 (6 pedras vermelhas horizontais + a pedra verde) e 4 (4 pedras verticais). O seu significado é a Tríplice Trindade (5, 6, 7) a se estender pelo inteiro globo terrestre (4 = 4 pontos cardeais).

ALGUNS TRAÇOS HISTÓRICOS DO “MAHARAL DE PRAGA”, ANTEPASSADO DE BENTO XVI

Entre seu antepassados, o judeu Joseph Alois Ratzinger Peintner (em realidade Tauber) provém da sucessão de 9 diferentes rabinos da Austro-Hungria e Alemanha. Mas em modo particular do Maharal (Yeudah Loew bem Bezalel) considerado um dos sábios ocultistas mais importantes da história.

O Maharal, conhecido entre os cabalistas satânicos, adquiriu a sua grande fama como o líder espiritual da comunidade hebraica de Praga. Ele fundou a Academia Talmúdica Unida, chamada Klaus:

O Maharal, abreviação de Moreinu HaRav Loeb, como é conhecido, adquiriu grande popularidade também entre os não hebreus pelos seus conhecimentos distintos seculares da matemática, da astrologia e de outras ciências (ocultas).. ele era um profundo conhecedor da Cabala, onde se revelam os segredos da criação divina e as vias escondidas de Deus“.

“Ao Maharal se atribuem, com razão, poderes especiais, a ponto de ser chamado “Artífice dos Milagres”. A história mais famosa é aquela do Golem (demônios invocados por feiticeiros hebraicos), atestada por um monumento edificado em Praga, que demonstra se tratar de alguma coisa mais que um simples folclore”.

“Depois de ter seguido os rituais prescritos, o Rabino desenvolveu o Golem e o fez vir a vida recitando magias especiais em hebraico. Quando o Golem de Rabbi Loew cresceu, tornou-se também mais violento e iniciou a assassinar as pessoas e a difundir o medo. Ao Rabino Lowe foi prometido que a violência contra os hebreus seria cessada se o Golem fosse destruído. O Rabino concordou. Para destruir o Golem, eliminou a primeira letra da palavra “Emet” diante a Golem para formar a palavra que, em hebraico, representa a morte. (Segundo a legenda, os restos do Golem de Praga são conservados em um caixão no sótão do Alteneuschul em Praga, e pode ser trazido a vida ainda mais uma vez, se necessário”.

“Anos depois, uma estátua com o titulo Der Hohe Rabbi Loebo grande Rabino Loeb – (obra de um famoso escultor tcheco) foi construída em honra e homenagem a essa ilustre personalidade”.


Compartilhar controvérsia